Pigmum

arte e outros riscos

Filtering by Category: notícias

Novo doodle do Google homenageia centenário do artista brasileiro Athos Bulcão

Se você fizer uma pesquisa no Google hoje, 2 de junho - e provavelmente fará, vai se deparar com o logo do buscador transformado em azulejos de Athos Bulcão, artista carioca que, se estivesse vivo, faria 100 anos hoje.

A homenagem do novo doodle do Google é inspirada nas obras mais conhecidas do artista: os murais de azulejos em prédios públicos e monumentos, principalmente em Brasília, cidade onde ele faleceu em 2008.

  Novo doodle do Google destaca a obra do artista brasileiro Athos Bulcão

Novo doodle do Google destaca a obra do artista brasileiro Athos Bulcão

Os azulejos de Bulcão são ícones da capital federal e integram a arquitetura de prédios como o Congresso Nacional, a Catedral de Brasília, o Palácio do Itamaraty, a sala de embarque do aeroporto de Brasília, a capela do Palácio da Alvorada e um dos prédios do Instituto de Artes da UnB. Mas os azulejos também podem ser encontrados nas fachadas de prédios públicos e residenciais do Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Aracaju, Natal, Cuiabá, entre outras cidades do Brasil e do exterior.

  Mural externo na Igrejinha Nossa Senhora de Fátima, em Brasília (DF)

Mural externo na Igrejinha Nossa Senhora de Fátima, em Brasília (DF)

  Mural na sala de embarque do aeroporto de Brasília

Mural na sala de embarque do aeroporto de Brasília

  Mural interno no Congresso Nacional, em Brasília (DF)

Mural interno no Congresso Nacional, em Brasília (DF)

  Mural no Palácio do Planalto, em Brasília (DF)

Mural no Palácio do Planalto, em Brasília (DF)

Além dos azulejos, Bulcão também produziu pinturas, fotomontagens, desenhos, peças de vestuário e projetos gráficos. E você pode conferir tudo isso na exposição retrospectiva do artista que tá rolando desde o comecinho desse ano no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A mostra já passou por Brasília e Belo Horizonte e deve circular em breve também nas unidades do CCBB em São Paulo e Rio de Janeiro.

  Da série  'Carnaval' , óleo sobre tela assinado por Athos Bulcão

Da série 'Carnaval', óleo sobre tela assinado por Athos Bulcão

  Athos Bulcão também produziu fotomontagens

Athos Bulcão também produziu fotomontagens

Athos Bulcão Fotomontagem

Concorrente ao Oscar 2018, filme sobre Van Gogh chega à Netflix!

A cerimônia do Oscar 2018 acontece na noite deste domingo e eu vou te dar um bom motivo para prestar atenção à entrega do prêmio de Melhor Animação! É que um dos concorrentes é o filme ‘Com Amor, Van Gogh’ (‘Loving Vincent’, 2017, direção de Dorota Kobiela e Hugh Welchman), o primeiro longa-metragem totalmente pintado a óleo. E o melhor é que ainda dá tempo de assistir antes do evento, já que nesta semana a Netflix disponibilizou o título em seu catálogo!

Confira o trailer:

E já tem alguns anos que o burburinho sobre esse filme rolava na internet. A expectativa por ele era grande! E não era pra menos, né? Mais de 100 artistas se dedicaram a pintar à mão cada um dos 65 mil frames dessa animação. Tudo pintado a óleo: quadro a quadro. O resultado é visualmente deslumbrante e até mesmo pela inovação técnica esse filme já merece levar o prêmio! Além disso, é também uma belíssima homenagem a Van Gogh, já que cada sequência foi inspirada em obras do artista.

  Cada frame do filme foi pintado à mão

Cada frame do filme foi pintado à mão

  Mais de 100 artistas participaram da criação

Mais de 100 artistas participaram da criação

O filme se passa em 1891, após a trágica morte do pintor holandês, que teria tirado a própria vida com um tiro de revólver em 27 de julho de 1890. Apesar de ter sido tardiamente reconhecido como um dos mais influentes precursores da arte moderna, Vincent van Gogh não experimentou o gosto do sucesso e teve uma vida intensa e trágica. O artista sofria de depressão, tinha alucinações e recorrentes surtos psicóticos, que inclusive levaram-no a ser internado em hospitais psiquiátricos.

Sem dúvida, era um gênio atormentado, mas será que ele realmente foi o autor daquele tiro? O filme questiona a versão oficial dos fatos quando o protagonista Armand Roulin (Douglas Booth) inicia uma investigação informal sobre os mistérios que rondam a morte do artista. Armand é filho do carteiro Joseph Roulin e recebe do pai a missão de entregar a última carta escrita por Vincent a seu irmão, Theo van Gogh.

  Armand Roulin (Douglas Booth) assume o papel de protagonista do filme, encarregado de entregar a última carta escrita por Van Gogh

Armand Roulin (Douglas Booth) assume o papel de protagonista do filme, encarregado de entregar a última carta escrita por Van Gogh

Na procura pelo destinatário, Armand revive os acontecimentos que antecederam a morte do artista, a partir de conversas com personagens que testemunharam seus últimos dias. Ao longo de todo o filme, Armand esbarra em pessoas e cenários pintados por Van Gogh. Inclusive ele mesmo foi tema de um dos retratos do pintor, assim como seu pai.

Mas apesar dos personagens reais, ainda estamos falando de uma obra de ficção. O roteiro conecta livremente pinturas conhecidas como ‘A Noite Estrelada’ (1889), ‘Quarto em Arles’ (1887) e ‘Retrato de Dr. Gachet’ (1890), criando uma relação de coerência ou até de interdependência entre elas. Os diálogos mantidos entre os personagens também seguem a mesma lógica, mas não se baseiam necessariamente em fatos reais. Portanto, recomendo cautela!

  Reproduções das pinturas  'A Noite Estrelada'  (1889) e  'Quarto em Arles'  (1887), ambas assinadas por Van Gogh

Reproduções das pinturas 'A Noite Estrelada' (1889) e 'Quarto em Arles' (1887), ambas assinadas por Van Gogh

Quarto em Arles Van Gogh

Aliás, as longas entrevistas que Armand trava com os outros personagens interferem na ação das cenas, aproximando o filme a um documentário. De certa forma, o roteiro negligencia o potencial do protagonista, fazendo de Armand apenas um elemento de articulação entre os diversos depoimentos. Sem dúvida esse foi o ponto que mais me incomodou.

De qualquer forma, o filme é um convite ao universo artístico de Van Gogh e quase uma experiência imersiva, que permite que a gente entre em suas pinturas. Portanto, aproveita que o fim de semana tá aí e corre pra assistir na Netflix. Vamos torcer juntos por ele no Oscar!

Mais 3 editais de ocupação estão abertos em galerias de arte do Nordeste

Há cerca de duas semanas, o Pigmum divulgou uma listinha com editais de ocupação abertos em galerias de arte de Aracaju-SE, Maceió-AL e Natal-RN. E não é que eu encontrei mais 3 editais circulando por aí?! Se você é artista e tá com seu trabalho prontinho só esperando uma oportunidade para expor, tome nota:

Galerias de Arte do Sesc Alagoas

  A Galeria de Arte do Sesc Centro, em Maceió-AL, recebe exposições de arte desde 1997

A Galeria de Arte do Sesc Centro, em Maceió-AL, recebe exposições de arte desde 1997

E a gente já começa com uma dobradinha no Sesc Alagoas! Você pode expor seu trabalho artístico nas duas galerias de arte da instituição, uma na unidade do centro de Maceió e a outra na unidade do município de Arapiraca. Basta inscrever sua proposta até 23 de fevereiro, indicando em qual galeria você pretende expor ou se tem a disponibilidade de expor nas duas.

  O Sesc Arapiraca, no agreste alagoano, inaugurou sua galeria de arte em 2010

O Sesc Arapiraca, no agreste alagoano, inaugurou sua galeria de arte em 2010

O processo será todo feito por e-mail e a documentação exigida deve ser enviada para o endereço convocatoria_artesvisuais@outlook.com. A convocatória é bastante livre e adianta que a programação de artes visuais poderá ser composta também por convite, caso seja necessário. Não há indicação de quantos artistas serão selecionados, mas o Sesc Alagoas garante cachê e também suporte financeiro para curadoria e montagem da exposição.

  Exposição da artista alagoana Hilda Moura na Galeria de Arte do Sesc Arapiraca

Exposição da artista alagoana Hilda Moura na Galeria de Arte do Sesc Arapiraca

A convocatória aceita propostas de pintura, desenho, gravura, escultura, fotografia, instalação e obras multimeios. Podem se inscrever artistas de todo o país, embora o fomento à produção artística alagoana seja prioridade para o Sesc Alagoas. Ah, é importante dizer ainda que os proponentes não podem ter participado de exposição na instituição durante os últimos 5 anos.

As exposições de artes visuais do Sesc Alagoas são realizadas desde 1997 e já contou com artistas locais e nacionais. Ao longo de duas décadas, a Galeria de Arte do Sesc Centro se consolidou no circuito artístico alagoano como um dos principais espaços expositivos de Maceió. Em 2010, o Sesc-AL inaugurou mais uma galeria na unidade de Arapiraca, expandindo seu projeto de artes visuais para o interior. Veja mais detalhes:


Pinacoteca Potiguar

  Fachada do Palácio Potengi, que foi sede do Governo do RN até 1995 e hoje abriga a Pinacoteca Potiguar

Fachada do Palácio Potengi, que foi sede do Governo do RN até 1995 e hoje abriga a Pinacoteca Potiguar

O Palácio Potengi - antiga sede do Governo do Estado do Rio Grande do Norte - abriga hoje a Pinacoteca Potiguar e a maior parte do acervo público de obras de arte do estado. Mas além da exposição de longa duração de seu acervo permanente, a Pinacoteca também recebe exposições temporárias em suas salas do piso térreo e está com edital de ocupação aberto para o ano de 2018.

Os interessados têm até o dia 22 de janeiro para realizar suas inscrições pelos Correios ou na sede da Fundação José Augusto, órgão do Governo responsável pela Pinacoteca. Podem se inscrever artistas ou coletivos artísticos de todo o Brasil e também do exterior, mas todos as despesas ficam sob responsabilidade dos proponentes e a Pinacoteca não oferece cachê aos selecionados.

  Uma das salas de exposições temporárias da Pinacoteca Potiguar

Uma das salas de exposições temporárias da Pinacoteca Potiguar

É até de se estranhar abrir um edital com tamanha abrangência quando não se oferece nenhuma contrapartida financeira aos artistas. A Pinacoteca Potiguar, além de ser um dos principais símbolos culturais do RN, é um equipamento público e já está mais do que na hora do Governo repensar com seriedade suas políticas culturais. Sem investimentos, não dá para ampliar o leque de ações da Pinacoteca e, de fato, transformá-la em uma instituição viva e atuante na sociedade.

O edital não especifica ou restringe nenhuma técnica ou linguagem artística, mas deixa claro que não serão permitidas alterações na estrutura física do prédio, que é um patrimônio tombado pelo IPHAN. Também não indica quantos projetos serão selecionados e nem quando terá início a temporada de exposições.

  Saguão de entrada da Pinacoteca Potiguar

Saguão de entrada da Pinacoteca Potiguar

  A Poinacoteca é responsável também pela manutenção do mobiliário do antigo salão de reuniões e solenidades do Governo do RN

A Poinacoteca é responsável também pela manutenção do mobiliário do antigo salão de reuniões e solenidades do Governo do RN

O resultado será divulgado no dia 5 de fevereiro e publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) no dia 23 de fevereiro, após o período de recursos.

Para mais informações:


Galeria de Artes Irene Medeiros

  A Galeria de Artes Irene Medeiros é um equipamento da Prefeitura de Campina Grande-PB e funciona no térreo do Teatro Municipal Severino Cabral

A Galeria de Artes Irene Medeiros é um equipamento da Prefeitura de Campina Grande-PB e funciona no térreo do Teatro Municipal Severino Cabral

E pra fechar essa lista, temos mais uma cidade do interior nordestino! Localizada no térreo do Teatro Municipal Severino Cabral, em Campina Grande-PB, a Galeria de Artes Irene Medeiros está com edital de ocupação aberto até 20 de janeiro para exposições individuais ou coletivas de artistas interessados do Brasil e do exterior.

Assim como na Pinacoteca Potiguar, o edital também não prevê custeio de despesas com transporte e montagem, nem mesmo cachê aos selecionados, o que possivelmente dificulta a participação de artistas que estejam fora da Paraíba ou até mesmo de Campina Grande. Fica aqui registrado também o ponto de atenção para que a Prefeitura de Campina Grande repense suas políticas culturais e reserve recursos financeiros para os próximos editais.

  Grupo durante visita a uma exposição temporária

Grupo durante visita a uma exposição temporária

  Fachada do Teatro Municipal Severino Cabral

Fachada do Teatro Municipal Severino Cabral

As inscrições estão sendo feitas por e-mail e a documentação exigida deve ser enviada ao endereço galeriairenemedeiros@gmail.com. O resultado será comunicado no dia 30 de janeiro também por e-mail e nos veículos de comunicação online do Teatro Severino Cabral.

Confira o edital:

BÔNUS:

Pinacoteca Universitária da Ufal

  A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

  As inscrições foram prorrogadas até 26 de janeiro

As inscrições foram prorrogadas até 26 de janeiro

O prazo para inscrição no edital de ocupação da Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) foi prorrogado até 26 de janeiro! O Pigmum já havia divulgado esse edital, que originalmente aceitaria inscrições até 15 de janeiro, mas agora artistas do Brasil todo terão mais tempo para enviar suas propostas, exclusivamente por via postal. Lembrando que essas propostas deverão ser inéditas no circuito cultural alagoano.

Para informações mais detalhadas, confira:

Retrospectiva: 10 exposições de arte que marcaram o ano de 2017 no Nordeste

2017 já está nos seus suspiros finais, mas ainda vale a pena dar um último giro cultural pelo Nordeste e destacar algumas exposições de arte que marcaram o ano na região!

  Imagens de algumas das exposições que marcaram o ano de 2017 no Nordeste

Imagens de algumas das exposições que marcaram o ano de 2017 no Nordeste

Mas antes, algumas considerações:

Apesar de ter sido um ano difícil às artes visuais - que do segundo semestre pra cá se deparou com o falso-moralismo e a hipocrisia de alguns conservadores com agenda política a cumprir, não faltou nudez, temas referentes à sexualidade ou questionamentos políticos nas exposições por aqui. Embora a artista Simone Barreto tenha sido 'convidada' a retirar algumas de suas obras de uma exposição no Espaço Cultural Unifor, em Fortaleza, não tivemos acesso a outros episódios significativos de censura em museus, centros culturais e galerias de arte do Nordeste. Por acaso não há conservadores por aqui? Ou isso apenas reflete aqueles dados de 2009 do IBGE, que mostram que 96% dos brasileiros não frequentam museus e 93% nunca foram a uma exposição de arte? Será que no Nordeste essa porcentagem é ainda maior?

  Em protesto contra à censura a exposições de arte e apresentações cênicas em 2017, 115 pessoas ficaram nuas na Praça do Museu da República, em Brasília, para uma série fotográfica assinada pelo fotógrafo Kazuo Okubo. Censura nunca mais!

Em protesto contra à censura a exposições de arte e apresentações cênicas em 2017, 115 pessoas ficaram nuas na Praça do Museu da República, em Brasília, para uma série fotográfica assinada pelo fotógrafo Kazuo Okubo. Censura nunca mais!

Ainda somos uma região sem o hábito de frequentar equipamentos culturais e desconfio que isso tem relação direta com nossa carência em educação, mais até do que com a condição financeira ou classe social do nosso povo. Arrisco dizer, inclusive, que a classe média e a própria elite econômica não são grandes frequentadores de museus (locais, é claro) e exposições de arte (pelo menos quando não oferecem algum status social). E quando falo sobre nossa carência em educação, não estou falando de educação como mercadoria, mas sim de educação para a formação humana do indivíduo e da própria sociedade.

  O hábito de frequentar museus e outros espaços culturais deve fazer parte da formação humana de nossas crianças

O hábito de frequentar museus e outros espaços culturais deve fazer parte da formação humana de nossas crianças

  Uma criança visita a exposição  'Meu Caminho' , de Raimunda Fortes, na Sala Sesc de Exposições, em Sao Luís-MA

Uma criança visita a exposição 'Meu Caminho', de Raimunda Fortes, na Sala Sesc de Exposições, em Sao Luís-MA

Nossa cultura faz parte desse processo de formação. A arte transforma. Ela tem o poder de nos tirar do lugar comum e de oferecer um ponto de vista diferente (e muitas vezes crítico) daquilo que é aparentemente banal em nosso cotidiano. A arte é um risco ao status quo. É por isso que os conservadores se sentem ameaçados por ela e é por isso também que os investimentos em educação e cultura não são prioridade às nossas oligarquias políticas. E a previsão é de que os cortes sejam ainda maiores em 2018.

Mas apesar de todas essas dificuldades, as artes visuais continuaram resistindo e florescendo no Nordeste e, ao longo do ano, recebemos grandes exposições individuais de artistas consolidados, como Tomie Ohtake, Leonilson e Chico Albuquerque, além do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE) - pela primeira vez no Nordeste. Tivemos ainda exposições coletivas comemorativas, reunindo os principais nomes da produção artística local de alguns estados. Sem falar na itinerância de algumas exposições pelas capitais e também pelo interior da região, o que ainda é pouco comum e merece ser incentivado para promover a integração e o intercâmbio cultural entre os estados do Nordeste. Afinal, se estamos geograficamente tão próximos, por que ainda somos tão distantes?


Tomie Ohtake na Caixa Cultural

  A artista Tomie Ohtake viveu 101 anos e 60 deles foram dedicados à arte

A artista Tomie Ohtake viveu 101 anos e 60 deles foram dedicados à arte

  A obra da artista sempre seguiu o caminho do abstracionismo

A obra da artista sempre seguiu o caminho do abstracionismo

Tomie Ohtake nasceu no Japão, mas viveu a maior parte de sua vida no Brasil e é reconhecida como uma das principais artistas brasileiras do século XX. Mesmo começando sua carreira aos 40 anos, ela ainda produziu por mais 60 anos! Em 2017, a mostra retrospectiva ‘Cor e Corpo’, que homenageia a artista morta em 2015, permaneceu bastante tempo no Nordeste, circulando pelas unidades da Caixa Cultural de Salvador, Recife e Fortaleza. O público dessas três capitais teve a oportunidade de ver de perto a sutileza das cores, das formas e das curvas que marcam o abstracionismo presente nas gravuras, pinturas e esculturas da artista.


Lula Cardoso Ayres: Arte, Região e Tempo

  Obra de Lula Cardoso Ayres exposta na retrospectiva do artista

Obra de Lula Cardoso Ayres exposta na retrospectiva do artista

A Caixa Cultural do Recife ainda celebrou a trajetória de Lula Cardoso Ayres, com uma grande mostra retrospectiva. Ao todo foram 208 obras que revelam a percurso do artista pernambucano por diferentes técnicas, como pintura a óleo, acrílica sobre cartão, aquarela, têmpera, entre outras. Lula Cardoso Ayres, que nos deixou em 1987, foi um grande nome do modernismo brasileiro e uma das figuras mais icônicas das artes visuais em Pernambuco.

  Telas de Lula Cardoso Ayres evidenciam seu traço modernista

Telas de Lula Cardoso Ayres evidenciam seu traço modernista

lula cardoso ayres

Leonilson: arquivo e memória vivos

  A obra de Leonilson é revisitada em exposição retrospectiva

A obra de Leonilson é revisitada em exposição retrospectiva

Já o artista Leonilson teve sua maior exposição retrospectiva, que resultou ainda na publicação de seu catálogo raisonné – com reproduções de todas as obras conhecidas do artista. A mostra ficou cerca de 3 meses em cartaz no Espaço Cultural Unifor, em Fortaleza, e reuniu mais de 120 obras, algumas delas inéditas. Leonilson nasceu no Ceará, mas se mudou para São Paulo ainda na infância. Ele se destacou na arte contemporânea brasileira entre as décadas de 1980 e 1990, mas em 1993 teve sua vida interrompida, aos 36 anos, vítima do vírus HIV. Justíssima homenagem do Ceará ao seu conterrâneo.

  O artista seguiu o caminho da arte contemporânea em sua breve, mas profícua trajetória

O artista seguiu o caminho da arte contemporânea em sua breve, mas profícua trajetória

leonilson

O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 anos

  Fotos do ensaio  'Mucuripe' , responsável por projetar nacionalmente a costa cearense

Fotos do ensaio 'Mucuripe', responsável por projetar nacionalmente a costa cearense

chico albuquerque

Outro cearense homenageado por lá foi o fotógrafo Chico Albuquerque, um dos pioneiros na fotografia publicitária brasileira e responsável por projetar nacionalmente a costa marítima do Ceará. Em 2017 ele completaria 100 anos e por isso foi tema da edição deste ano da Maloca Dragão, o maior festival de artes do estado. A exposição ocupou o Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE) com mais de 400 fotografias.

Chico Albuquerque também ficou conhecido por ter acompanhado o cineasta americano Orson Welles ('Cidadão Kane') durante as gravações de um documentário sobre quatro jangadeiros que, a bordo de uma jangada, navegaram até o Rio de Janeiro a fim de reivindicar melhores condições de trabalho ao então presidente Getúlio Vargas. Infelizmente, o filme permaneceu inacabado, mas virou história.

  O cineasta americano Orson Welles (sentado) durante passagem pelo Ceará, em 1942. Fotografia: Chico Albuquerque

O cineasta americano Orson Welles (sentado) durante passagem pelo Ceará, em 1942. Fotografia: Chico Albuquerque


FILE SÃO LUÍS 2017

  Pela primeira vez, o FILE, maior festival de Arte e Tecnologia da América Latina chegou a uma cidade nordestina

Pela primeira vez, o FILE, maior festival de Arte e Tecnologia da América Latina chegou a uma cidade nordestina

E pela primeira vez uma cidade nordestina recebeu o Festival Internacional de Arte Eletrônica (FILE), o maior festival de Arte e Tecnologia da América Latina! A mostra, que anualmente acontece em São Paulo e circula geralmente entre as capitais do Sul e Sudeste, veio com tudo inaugurar o Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), o mais novo espaço expositivo de São Luís (que, claro, merece nossa atenção nessa retrospectiva de 2017).

Durante três meses, o público do Maranhão pode interagir com obras de realidade virtual, instalações interativas, games, animações, experiências sensoriais, tendo acesso a trabalhos de mais de 42 artistas de diversos países, como Brasil, Alemanha, Austrália, Canadá, França, Eslováquia, Estados Unidos, Grécia, México, Portugal e Sérvia. De fato, uma mostra que merece o registro!

  Obra de realidade virtual convida o interator a entrar na obra de Van Gogh por meio de um óculos de realidade 3D

Obra de realidade virtual convida o interator a entrar na obra de Van Gogh por meio de um óculos de realidade 3D

  Sede do Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), inaugurado em 2017

Sede do Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), inaugurado em 2017


Mostra Sesc Amazônia das Artes pelo Maranhão e Piauí

  A exposição  'Alistamento' , de Éder Oliveira, integrou a 10ª edição da Mostra Sesc Amazônia das Artes

A exposição 'Alistamento', de Éder Oliveira, integrou a 10ª edição da Mostra Sesc Amazônia das Artes

Em 2017, o Maranhão ainda recebeu a exposição ‘Alistamento’, assim como o Piauí! Os dois estados integraram a 10ª edição da Mostra Sesc Amazônia das Artes, que também percorreu toda a região Norte e o Mato Grosso, promovendo atividades culturais nos estados da chamada Amazônia Legal. Eu só não entendi o porquê do Piauí ser incluído nesse projeto, uma vez que o Amazônia não é um bioma que ocorre no estado. Mas enfim... que bom que itinerâncias culturais como essa estão ocorrendo também no Norte do país!

Quem assina a exposição ‘Alistamento’ é o artista paraense Éder Oliveira, que apresentou ao público seu olhar artístico sobre o alistamento militar, em um processo de experimentação estética que aproximou fotografia, retrato, pintura e intervenção. Para muitos jovens, o alistamento militar representa uma alternativa para mudar de vida, principalmente para aqueles vindos de cidades pequenas.

  Um olhar artístico sobre o alistamento militar

Um olhar artístico sobre o alistamento militar

eder oliveira

Alexandre Filho - Pinturas e Gravura

  A Usina Cultural Energisa, em João Pessoa-PB, abriu a Galeria de Arte Alexandre Filho, seu novo espaço expositivo

A Usina Cultural Energisa, em João Pessoa-PB, abriu a Galeria de Arte Alexandre Filho, seu novo espaço expositivo

Outro espaço expositivo inaugurado recentemente é a Galeria de Arte Alexandre Filho, dentro da Usina Cultural Energisa, em João Pessoa. E nada melhor do que uma exposição do próprio homenageado para abrir a galeria! O paraibano Alexandre Filho é um verdadeiro patrimônio vivo da arte popular brasileira, reconhecido internacionalmente como um dos principais artistas naïfs do país.

A exposição retrospectiva de seus 50 anos de carreira (!) contou com trabalhos que se destacam pela leveza do traçado arredondado, pelas cores cheias de luz, pelo lirismo da relação entre a figura humana e a natureza e pela memória coletiva do povo nordestino, tão presente em suas telas. Algumas das obras, inclusive, eram inéditas. Na ocasião dessa exposição, o Pigmum também homenageou o artista lançando a seção Artista do Mês. Mais que merecido!

  Alexandre Filho é referência em arte  naïf  no país

Alexandre Filho é referência em arte naïf no país


Graciliano Arte e os 200 anos de Alagoas

  Páginas do livro Graciliano Arte dedicadas ao artista contemporâneo Delson Uchôa

Páginas do livro Graciliano Arte dedicadas ao artista contemporâneo Delson Uchôa

  Capa do livro Graciliano Arte, publicado em 2017

Capa do livro Graciliano Arte, publicado em 2017

Em Alagoas, os 200 anos de emancipação política (o território alagoano pertencia a Pernambuco até 16 de setembro de 1817) foram comemorados também com exposições coletivas que apresentaram um panorama visual da produção artística contemporânea no estado. Apesar de ter ocorrido o 'III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas' e da Pinacoteca Universitária da Ufal ter cumprido o seu papel muito bem com a mostra ‘Horizontes’, é preciso enfatizar a exposição ‘Graciliano Arte’, que marcou o lançamento de um livro homônimo com o recorte dessa produção contemporânea em diferentes linguagens, como a música, a literatura, o audiovisual, as artes cênicas e, claro, as artes visuais.

Embora a publicação tenha causado certo desconforto devido às escolhas editoriais e à ausência de alguns nomes emblemáticos entre os artistas locais, é válido destacar esse livro como uma conquista das artes em Alagoas. Que venham os próximos!

Na exposição, que foi montada no Galpão 422, o público pode conferir trabalhos de artistas em plena atividade, como Pedro Lucena, Myrna Maracajá, Heway Verçosa, Suel Cordeiro, Celso Brandão, Francisco Oiticica, Renata Voss e Ricardo Lêdo.


A itinerância de Guto Holanda

  Guto Holanda e suas obras

Guto Holanda e suas obras

E quem também expôs em Maceió foi o paulista Guto Holanda. Radicado em João Pessoa, o artista conseguiu circular com seus trabalhos em pelo menos três estados do Nordeste este ano! Primeiro ele dividiu o espaço da Galeria de Arte Archidy Picado, em João Pessoa, com o também artista Américo Filho (Meiacor); depois, a Pinacoteca da Ufal recebeu a sua exposição individual ‘Nunca Serei Cinza’; e em novembro, foi a vez da Galeria de Arte do IFRN Cidade Alta, em Natal, receber a mesma exposição.

Mas por que eu estou batendo tanto nesta tecla? Porque seria incrível que as exposições dos nossos artistas tivessem trânsito facilitado não apenas nas capitais da região, mas também pelo interior dos estados. Precisamos dar a oportunidade para que o Nordeste conheça e valorize os seus próprios artistas. Intercâmbio cultural é fundamental!

  Mostra  'Cor de Dentro'  ficou em cartaz na Galeria de Arte Archidy Picado, em João Pessoa-PB, no primeiro semestre de 2017

Mostra 'Cor de Dentro' ficou em cartaz na Galeria de Arte Archidy Picado, em João Pessoa-PB, no primeiro semestre de 2017


II Salão Dorian Gray de Artes Visuais em Mossoró-RN

  O cangaço foi o tema do II Salão Dorian Gray de Artes Visuais

O cangaço foi o tema do II Salão Dorian Gray de Artes Visuais

Falando em interiorização, não podemos deixar de fora o 'II Salão Dorian Gray de Artes Visuais', que levou para Mossoró-RN – em pleno período junino - mais de 300 obras, entre desenhos, pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, imagens em movimento e performances. Cerca de 150 artistas participaram da mostra, que teve o cangaço como tema. O salão integrou as comemorações da cidade pelos 90 anos de resistência do povo mossoroense ao ataque do bando de Lampião. De fato, essa grande exposição no interior potiguar marcou o ano de 2017 para as artes visuais do Rio Grande do Norte.

E a notícia que rola por aí é de que Mossoró vai ganhar a sua própria Pinacoteca! Espero que esse projeto saia mesmo do papel, né governador?!

  A mostra levou mais de 300 obras para Mossoró-RN

A mostra levou mais de 300 obras para Mossoró-RN

II Salão Dorian Gray de Artes Visuais

É claro que muita coisa ficou de fora nessa retrospectiva 2017. Não foi nada fácil eleger apenas 10 exposições em meio a tanta coisa que rolou nos 9 estados que compõem o Nordeste. Mas acredito que consegui fazer um apanhado justo do que eu consegui acompanhar ao longo do ano por aqui. Espero que o Pigmum tenha ajudado vocês a se conectar com a cena artística visual do Nordeste. Espero ainda que, em 2018, o Pigmum possa acompanhar ainda mais de perto essa cena tão diversa e que se torne, de certa forma, um termômetro das artes visuais na região.

Agora pegue o champagne e vamos brindar!

Feliz ano novo!

Começou a 11ª Primavera dos Museus, em mais de 900 instituições de todo o país. Confira a programação!

Oficialmente, a primavera só começa no próximo dia 22 de setembro, mas os museus do país inteiro já desabrocharam para mais uma temporada cultural. A partir desta segunda-feira (18), cerca de 900 museus brasileiros participam da 11ª Primavera dos Museus, com mais de 2.500 atividades especiais, realizadas entre 18 e 24 de setembro.

  Cartaz da 11ª Primavera dos Museus, que neste ano está promovendo uma reflexão sobre as memórias das próprias instituições museais

Cartaz da 11ª Primavera dos Museus, que neste ano está promovendo uma reflexão sobre as memórias das próprias instituições museais

Nesta edição, com o tema ‘Museus e suas memórias’, o objetivo é valorizar as próprias memórias institucionais, ou seja, refletir sobre a trajetória particular de cada museu e seu papel como agente articulador da memória coletiva nas localidades onde estão inseridos. Ainda é possível participar da dinâmica social diante das constantes transformações?

É hora de fazer um balanço e reposicionar o lugar dos museus na sociedade. E o momento não poderia ser mais oportuno, às vésperas de mais um aniversário histórico do Museu Nacional (RJ), que foi a primeira instituição museal do país e que em 2018 completará 200 anos!

Desde então, milhares de outros museus foram criados no Brasil. O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – órgão que promove a 11ª Primavera dos Museus – já mapeou cerca de 3.700 instituições museais espalhadas pelo país e muitas delas ainda não tinham refletido sobre suas próprias histórias, objetivos, processos e resultados.

É sob esse contexto que estão previstas as palestras, oficinas, visitas mediadas e exibição de filmes ao longo de toda essa semana. Uma ótima maneira de dar boas-vindas à primavera, né?!

E se você não tem o hábito de frequentar museus, eis aí uma oportunidade imperdível! Prestigie um museu perto de você, participe das atividades e sempre que for publicar nas redes sociais, não se esqueça de marcar a hashtag #primaveramuseus2017. =)

Confira a programação da sua cidade:

Na próxima semana Brasília será a capital da Arte e Tecnologia! Prepare-se para o #16.ART!

Se você estiver em Brasília-DF na próxima semana, então eu tenho uma dica muito boa pra te dar! É que entre os dias 4 e 7 de setembro o Museu Nacional da República vai sediar o #16.ART Encontro Internacional de Arte e Tecnologia, um dos principais eventos de Arte e Tecnologia do país! E o melhor? Aberto ao público!

  A etapa brasileira da #16.ART acontece entre 4 e 7 de setembro, em Brasília-DF

A etapa brasileira da #16.ART acontece entre 4 e 7 de setembro, em Brasília-DF

Sobre Arte e Tecnologia a gente já falou, lembra? Pois então, serão 4 dias de mesas redondas com pesquisadores da área e palestras com convidados nacionais e internacionais, discutindo sobre essa nova onda criativa que surge a partir dos diálogos possíveis entre arte, ciência e tecnologia.

E claro que o evento não iria se restringir apenas aos especialistas. Ainda nesta segunda-feira (4), às 20h, haverá também a abertura da exposição ‘Retina’, com mais de 20 obras de Arte e Tecnologia que ocuparão o hall do Museu Nacional.

  Durante 4 dias, a capital federal será também a capital da Arte e Tecnologia

Durante 4 dias, a capital federal será também a capital da Arte e Tecnologia

  O evento acontecerá no Museu Nacional da República, assim como a exposição  'Retina'

O evento acontecerá no Museu Nacional da República, assim como a exposição 'Retina'

Com o tema ‘Imaginar o Real’, o #16.ART pretende atualizar discursos recorrentes quando se fala em pesquisa e produção artística de Arte e Tecnologia, explorando conceitos que estão se expandindo cada vez mais no pensamento contemporâneo, como inteligência artificial, presença à distância, ubiquidade, simulação, trabalho colaborativo, coautoria, interatividade, ciberativismo, hipertextualidade, entre outros.

  Após a etapa brasileira, o #16.ART segue para a Universidade do Porto, em Portugal

Após a etapa brasileira, o #16.ART segue para a Universidade do Porto, em Portugal

Esses conceitos desafiam não apenas a arte, mas ganham terreno inclusive em nosso convívio em sociedade, afetando diretamente o próprio cotidiano. O #16.ART vai questionar principalmente como os artistas contemporâneos lidam com esses temas em seus processos criativos, que muitas vezes colocam em xeque o que sabemos sobre realidade, virtualidade, materialidade e imaterialidade.

O evento é realizado pelo Media Lab/BR, que é uma rede de pesquisa formada por três universidades (UFG/UnB/UNIFESSPA) e que se dedica ao desenvolvimento de projetos de inovação em mídias interativas, com forte atuação cultural, social e artística. Em outubro, o #16.ART segue para a Universidade do Porto, em Portugal, onde acontecerá uma versão expandida do evento, com direito a submissão de artigos, trabalhos para exposição e pôsteres. As inscrições para o #16.ART Portugal podem ser feitas até 10 de setembro.

Sério, gente, é imperdível! Confira a programação completa da etapa brasileira e também o site da versão portuguesa do evento:

A arte sacra repaginada de Crec Leão entra em cartaz nesta terça (23), em Aracaju-SE

Durante séculos e séculos a pintura de temas religiosos foi uma constante na história da arte, mas engana-se quem pensa que essa temática já não tem mais nada a oferecer. Nas obras do artista visual Crec Leão, imagens da tradição católica ganham novas formas, cores e texturas, atualizando símbolos seculares com uma faceta artística mais contemporânea. E se você estiver em Aracaju-SE, vai poder conferir o resultado desses experimentos a partir de hoje!

  A pintura sacra de Crec Leão é cheia de cor e elementos que remetem à contemporaneidade

A pintura sacra de Crec Leão é cheia de cor e elementos que remetem à contemporaneidade

crec leão

Nesta terça-feira (23), às 19h, o Café da Gente, anexo ao Museu da Gente Sergipana, recebe ‘As Cores da Fé’, a nova exposição de Crec Leão. O artista, inclusive, já havia realizado outra mostra no museu, com pinturas que também deram uma cara mais contemporânea aos símbolos tradicionais do cangaço.

  O cangaço na perspectiva de Crec Leão

O cangaço na perspectiva de Crec Leão

  Exposição anterior do artista esteve em cartaz no Museu da Gente Sergipana

Exposição anterior do artista esteve em cartaz no Museu da Gente Sergipana

A influência para ressignificar ícones culturais fazendo uso de cores vibrantes vem principalmente da Pop Art. Lembram da Marilyn Monroe de Andy Warhol? Pois é, mas as referências de Crec Leão também passam pelo movimento dadaísta e pelos quadrinhos de Frank Muller e Bill Sienkiewicz. Aliás, os quadrinhos foram fundamentais na educação artística de Crec Leão, que desenha desde os 4 anos de idade e tem formação autodidata.

  Uma das pinturas de Marilyn Monroe, assinadas por Andy Warhol

Uma das pinturas de Marilyn Monroe, assinadas por Andy Warhol

  O artista Crec Leão

O artista Crec Leão

Mas ao mesmo tempo que a nova exposição propõe um olhar contemporâneo sobre a iconografia do sagrado, também remete o visitante ao colorido e às formas inventivas da arte medieval, dominada pela influência da Igreja Católica. Afinal, a arte desse período deixou frutos maravilhosos, como os mosaicos das igrejas bizantinas.

 'Iluminura do Apóstolo Paulo'  (1185), de Meister aus Halberstadt, exemplo da inventividade da arte medieval

'Iluminura do Apóstolo Paulo' (1185), de Meister aus Halberstadt, exemplo da inventividade da arte medieval

 'Cristo Pantocrator' , mosaico bizantino do final do século XII

'Cristo Pantocrator', mosaico bizantino do final do século XII

Ou seja, a arte de Crec Leão dá um novo fôlego à pintura de temática religiosa, mas também tem o poder de nos remeter ao passado e de reavivar questões que estão enraizadas em nossa sociedade, como o valor simbólico da adoração a uma divindade ou a necessidade de ritos para a confirmação da fé.

  A exposição  'As Cores da Fé'  fica em cartaz até 15 de agosto

A exposição 'As Cores da Fé' fica em cartaz até 15 de agosto

crec leão
crec leão

SERVIÇO:

Abertura da exposição ‘As Cores da Fé’
Artista: Crec Leão
23 de maio (terça-feira), às 19h.
Local: Café da Gente
Endereço: Av. Ivo do Prado, 398 - Centro. Aracaju - Sergipe (Museu da Gente Sergipana). Telefone: (79) 3246-3186
 

Visitação: até 15 de agosto, de terça-feira a domingo, das 10h às 18h
Entrada franca.
 

Já tá rolando a 15ª Semana Nacional de Museus! Quantos você já visitou essa semana?

Se hoje em dia tem dia pra tudo, é claro que também tem dia pra celebrar os museus! Nesta quinta-feira (18), o mundo todo comemora o Dia Internacional de Museus, com exposições e diversas atividades, entre palestras, mesas-redondas, apresentações culturais e visitas guiadas.

  Museu Nacional da República, em Brasília-DF

Museu Nacional da República, em Brasília-DF

Mas aqui no Brasil as comemorações duram uma semana inteira e, desde a segunda-feira (15), a 15ª Semana Nacional de Museus está movimentando cerca de 450 cidades espalhadas pelo país, com o tema ‘Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus’.

  Cartaz de divulgação da 15ª Semana Nacional de Museus

Cartaz de divulgação da 15ª Semana Nacional de Museus

O tema é fundamental nesse momento de transformações do próprio museu como instituição responsável pelo armazenamento, preservação e apresentação da nossa cultura e história. Afinal, qual é o papel do museu no século XXI? E em tempos de polarização ideológica, é urgente abordar esse tema, pois como fazer caber no museu as diferentes versões ou visões de um mesmo fato? Narrar as controversas histórias dos ‘vencedores’ e também dos ‘vencidos’?

Além de promover discussões como essa, a 15ª Semana Nacional de Museus também tem o papel de evidenciar a relevância dessas instituições na preservação de nosso patrimônio cultural nacional, além de mostrar a importância de se frequentar museus com regularidade e de participar de suas atividades frequentes, que vão além das exposições.


  Museu da Imagem e do Som - Misa, em Maceió-AL

Museu da Imagem e do Som - Misa, em Maceió-AL

  Por dentro do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães - Mamam, em Recife-PE

Por dentro do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães - Mamam, em Recife-PE

Mais de mil museus participam dessa temporada cultural – que é promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), oferecendo uma programação com cerca de 3 mil atividades especiais. Ou seja, se você procurar direitinho nesse link aqui, com certeza vai achar o que fazer num museu próximo a você.

  A exposição  'Abraços aos que me guardam' , de Christus Nóbrega, está na programação da semana, no Museu Nacional da República, em Brasília-DF

A exposição 'Abraços aos que me guardam', de Christus Nóbrega, está na programação da semana, no Museu Nacional da República, em Brasília-DF

Eu mesmo vou fazer logo um tour completo, começando hoje aqui em Maceió-AL, partindo amanhã para alguns museus do Recife-PE e fechando a semana em Brasília-DF, porque tô merecendo um rolezinho nos museus federais. Ah, a 15ª Semana Nacional de Museus vai até domingo (21), tá? Não deixe de participar!

  No Misa-AL, participa a exposição  'Arretada Labuta' , de Pablo de Lucca

No Misa-AL, participa a exposição 'Arretada Labuta', de Pablo de Lucca

  Já no Mamam-PE, está em cartaz a exposição coletiva  'Sugar and Speed'

Já no Mamam-PE, está em cartaz a exposição coletiva 'Sugar and Speed'

Se organizar direitinho, dá pra gente ir nas aberturas de duas exposições de arte amanhã (10) em Natal-RN. Bora?

Natal tá pipocando em exposições de arte esse mês. Isso sem falar na Semana de Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que começou ontem (8) e segue até sexta-feira (12). Pra engrossar ainda mais esse caldo cultural, nesta quarta-feira (10) a capital potiguar recebe mais duas exposições e se a gente planejar tudo direitinho, dá pra conferir as duas aberturas, já que elas estarão próximas uma da outra.

  Casa em ruínas na fazenda Bom Jesus, em Goianinha (RN)

Casa em ruínas na fazenda Bom Jesus, em Goianinha (RN)

A primeira será na Pinacoteca Potiguar, às 18h, com o lançamento da instalação multimídia ‘Tristes Trópicos – Bom Jardim’, assinada pela artista visual paulista Regina Johas. A artista, que também é pesquisadora, desde os anos 1990 desenvolve seu trabalho aliando o campo da arte com questões sociais e culturais.

  Ruínas localizadas na Via Costeira, em Natal (RN)

Ruínas localizadas na Via Costeira, em Natal (RN)

regina johas

A exposição nasceu a partir do projeto de extensão ‘Memórias de Bom Jardim’, em parceria com o grupo de estudos em arte contemporânea Zeitgeist, ambos da UFRN. A ideia é aproximar ruínas contemporâneas às ruínas do passado, para tentar entender o elo de ligação entre elas e os grupos sociais que habitam os espaços rural e urbano do Rio Grande do Norte.

  Imagens da vídeo-instalação

Imagens da vídeo-instalação

regina johas

Na mostra, uma vídeo-projeção tomará conta de toda a sala Dorian Gray e haverá ainda a instalação sonora ‘Quanto coco se dança’, em homenagem ao cantador potiguar Chico Antônio.


E é só andar duas quadras adiante e já estaremos no lançamento da exposição ‘Olhar mais atento’, marcado às 19h30, na Galeria Sesc Cidade Alta. Esta será a segunda mostra da pauta de exposições 2017 da Galeria e é assinada pelo grupo Urban Sketchers Natal.

  Ilustração do grupo  Urban Sketchers  Natal

Ilustração do grupo Urban Sketchers Natal

O urban sketching ou croqui urbano é uma prática artística recorrente entre artistas que sentem necessidade de registrar o local onde vivem ou suas experiências de viagem.

Em Natal-RN, o grupo tem representantes desde 2012 e reúne-se uma vez por mês para desenhar um local pré-estabelecido na capital e também no interior. O importante é que os trabalhos sejam realizados, pelo menos parcialmente, nos próprios locais que são representados.

  Por dentro do Forte dos Reis Magos

Por dentro do Forte dos Reis Magos

Nesta exposição, serão apresentados 40 trabalhos, entre desenhos e aquarelas, dos arquitetos André Alves, Jota Clewton, Petterson Dantas e Rafael Oliveira, além de vídeos e sketchbooks dos artistas. As obras retratam principalmente paisagens urbanas e naturais do Rio Grande do Norte.

  Desenhos de artistas diferentes para a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, em Natal (RN)

Desenhos de artistas diferentes para a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, em Natal (RN)

urban sketchers natal

Agora é só agendar, compartilhar esse texto nos grupos de WhatsApp e chamar a galera pra ir com você. Bora!?

SERVIÇO:

Abertura da exposição: 'Tristes Trópicos - Bom Jardim'
Artista: Regina Johas
10 de maio (quarta-feira), às 18h.
Local: Pinacoteca Potiguar
Endereço: Avenida 7 de setembro, s/n, Cidade Alta. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 3232-9727
Entrada gratuita.

Visitação: até 20 de maio, de terça-feira a domingo, das 9h às 17h
 

Exposição: 'Olhar mais atento'
Artista: Urban Sketchers Natal
10 de maio (quarta-feira), às 19h30.
Local: Galeria de Arte do SESC Cidade Alta
Endereço: Rua Coronel Cascudo, 33, Cidade Alta. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 3133-0360
Entrada gratuita.

Visitação: até 7 de junho, das 9h às 19h, exceto finais de semana e feriados

Maloca Dragão: o maior festival de artes do Ceará começa nesta terça (25). Bora?

Feriadão acabou, mas pra quem tá em Fortaleza, a festa continua! Já nesta terça-feira (25), a capital cearense abre a Maloca Dragão, o maior festival de artes do Ceará! Serão mais de 130 atrações, distribuídas em 24 espaços do Centro Cultural Dragão do Mar e da Praia de Iracema, ao longo de seis dias de programação gratuita.

 'It's All True, Orson Welles – 100 anos de Chico Albuquerque'  é o tema desta quarta edição da Maloca Dragão

'It's All True, Orson Welles – 100 anos de Chico Albuquerque' é o tema desta quarta edição da Maloca Dragão

Tudo isso é pra comemorar o aniversário do Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura, que no dia 28 de abril completa 18 anos, cumprindo seu papel de facilitador do acesso à cultura e às artes no estado. Trata-se de um dos maiores centros culturais do país e uma referência na difusão, formação e criação artística cearense. A gente já fez uma visitinha a ele lá no Canal Pigmum, lembra?

Mas o importante é que, entre os dias 25 e 30 de abril, o público vai poder curtir shows musicais, espetáculos de teatro, dança e circo, além de intervenções e performances de arte urbana, mostra de cinema, feirinha gastronômica e apresentações de cultura popular.

  Karol Conka e As Bahias e a Comida Mineira são algumas das atrações do festival

Karol Conka e As Bahias e a Comida Mineira são algumas das atrações do festival

as bahias e a cozinha mineira

Abertura e o centenário de Chico Albuquerque

Porém, o grande destaque do festival vai para a exposição com mais de 400 fotografias registradas pelo cearense Chico Albuquerque, que em 1942 acompanhou o cineasta americano Orson Welles ('Cidadão Kane') durante as gravações de ‘It’s All True’ ('É Tudo Verdade').

  O cineasta americano Orson Welles (sentado) durante passagem pelo Ceará, em 1942. Fotografia: Chico Albuquerque

O cineasta americano Orson Welles (sentado) durante passagem pelo Ceará, em 1942. Fotografia: Chico Albuquerque

O filme documental narrava a saga de quatro jangadeiros rumo ao Rio de Janeiro, a bordo de uma jangada, a fim de reivindicar melhores condições de trabalho ao então presidente Getúlio Vargas. Infelizmente, o documentário não foi concluído, mas impulsionou a carreira de Chico Albuquerque, que acabou se tornando um dos pioneiros da fotografia publicitária no Brasil.

  Com o ensaio fotográfico  'Mucuripe' , Chico Albuquerque foi responsável por projetar nacionalmente a costa cearense

Com o ensaio fotográfico 'Mucuripe', Chico Albuquerque foi responsável por projetar nacionalmente a costa cearense

  O fotógrafo cearense Chico Albuquerque

O fotógrafo cearense Chico Albuquerque

  Chico Albuquerque também foi o pioneiro da fotografia publicitária no Brasil

Chico Albuquerque também foi o pioneiro da fotografia publicitária no Brasil

  Anúncio publicitário para a Kombi, da Volkswagen, com foto de Chico Albuquerque

Anúncio publicitário para a Kombi, da Volkswagen, com foto de Chico Albuquerque

Inclusive, o filme inacabado de Orson Welles e o aniversário de Chico Albuquerque são o tema desta quarta edição da Maloca Dragão. É a primeira vez que o festival adota um tema específico e é por isso que o evento começa com a abertura da exposição no dia 25 de abril, data em que Chico Albuquerque completaria 100 anos!

  Jangadeiro na série  'Mucuripe' . Fotografia: Chico Albuquerque

Jangadeiro na série 'Mucuripe'. Fotografia: Chico Albuquerque

Na abertura, que será no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE), a exposição será acompanhada da instalação ‘Jangadeiros’, do ilustrador, grafiteiro e artista plástico Rafael Limaverde; além do show ‘Quatro homens e uma jangada’, uma performance sonora visual criada por Eric Barbosa. Ele, o artista visual Dimitri Lomonaco e os músicos Guilherme Mendonça e Julio César Santana Pepeu ainda vão realizar uma reinterpretação audiovisual do filme de Orson Welles. Imperdível, viu?

  Mais uma foto de Chico Albuquerque para a série  'Mucuripe'

Mais uma foto de Chico Albuquerque para a série 'Mucuripe'

Mas olha, a gente tá aqui só falando da abertura do festival, mas tem muita coisa pra acontecer ainda. Confira a programação completa da Maloca Dragão no site oficial.


SERVIÇO:

Abertura do Festival Maloca Dragão 2017 e da exposição 'O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 anos'
25 de abril (terça-feira), às 19h.
Local: Museu de Arte Contemporânea do Ceará - MAC-CE
Endereço: Rua Dragão do Mar, 81 - Praia de Iracema. Fortaleza - Ceará (Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura). Telefone: (85) 3488-8621
Entrada gratuita.

Visitação da exposição: até 2 de julho, de terça à sexta-feira, das 9h às 19h e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h

E-mail: agendamentomuseus@gmail.com
 

Vitória-ES e São Luís-MA recebem o maior festival de Arte e Tecnologia do Brasil

A essa altura você já deve saber que a arte pode ser muita coisa, inclusive high-tech, né? Então preparem-se para o maior festival de Arte e Tecnologia do Brasil! A partir desta terça-feira (18), Vitória-ES recebe o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, que desde o dia 5 de abril também está em cartaz em São Luís-MA. Queremos ir? Queremos.

  Cartaz do FILE Vitória 2017: Toque Aqui

Cartaz do FILE Vitória 2017: Toque Aqui

  Cartaz do FILE São Luís 2017: Não deixe essa onda passar

Cartaz do FILE São Luís 2017: Não deixe essa onda passar

Há 18 anos o FILE promove exposições, oficinas e encontros sobre Arte e Tecnologia, sempre com eventos anuais em São Paulo e exposições que já passaram por Curitiba-PR, Rio de Janeiro-RJ, Porto Alegre-RS, Belo Horizonte-MG e participações em eventos internacionais. Essa é a primeira vez que a exposição é realizada também no Nordeste, abrindo caminho para uma circulação maior do festival.

  O Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), em São Luís. O prédio histórico foi reformado e abriga a exposição FILE 2017 na capital maranhense

O Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), em São Luís. O prédio histórico foi reformado e abriga a exposição FILE 2017 na capital maranhense

E o que é Arte e Tecnologia?

Desde que os computadores passaram a fazer parte das nossas vidas, muita coisa mudou, inclusive a arte. Pelo menos desde o final dos anos 1980, a aproximação entre arte, ciência e tecnologia tem se acentuado, gerando múltiplas possibilidades artísticas.

Inúmeros artistas do circuito nacional e internacional passaram a explorar as poéticas das tecnologias digitais, criando obras que utilizam essas tecnologias como ferramentas de produção, armazenamento, apresentação e difusão. Realidade virtual, hacktivismo, interatividade, impressão 3D, robótica, conectividade e realidade aumentada são outros campos de atuação que você jurava que só estava no dia a dia do pessoal de TI, mas que a arte contemporânea também está bastante interessada.

FILE Vitória 2017: Toque aqui

  A obra  'The Night Café' , de Mac Cauley, recria digitalmente uma pintura famosa de Van Gogh

A obra 'The Night Café', de Mac Cauley, recria digitalmente uma pintura famosa de Van Gogh

Já tem muita gente produzindo Arte e Tecnologia no mundo todo e festivais como o FILE são instrumentos importantíssimos para dar visibilidade a esse fenômeno e gerar novos públicos. Em 2017, o FILE Vitória 2017: Toque aqui traz uma seleção de 8 instalações interativas, 4 games e 20 animações, de artistas de 15 países, entre eles Alemanha, Austrália, Eslováquia, México e Sérvia.

Entre as obras de realidade virtual com uso de óculos 3D, em ‘The Night Café’, de Mac Cauley (Estados Unidos), é possível explorar o mundo das pinturas de Van Gogh e até mesmo encontrar com o próprio pintor em uma versão animada. Dá uma olhada nessa vídeo:

Já na seleção de instalações, ‘Fated Ascent’, de Donald Abad (França), utiliza a tecnologia da realidade aumentada para criar um espaço em que os visitantes possam perceber a presença de outro visitante, virtualmente ligado a um amontoado de pedras. Para isso, basta ver esse amontoado através de um tablet ou de um smartphone. 

  Em  'Fated Ascent' , de Donald Abad, a realidade aumentada amplia as possibilidades de uma instalação

Em 'Fated Ascent', de Donald Abad, a realidade aumentada amplia as possibilidades de uma instalação

fated ascent

Vê só que maravilhoso que é;

E se eu começar a falar aqui tudo que vai rolar por lá o dia termina e ninguém sai do canto. Portanto, se você está de passagem por Vitória-ES e São Luís-MA, vá hoje mesmo visitar as exposições. Como diz o cartaz do FILE São Luís 2017: não deixe essa onda passar!


SERVIÇO:

Exposição: FILE Vitória 2017: Toque aqui
Artista: Coletiva
Até 11 de junho, de terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Local: Sesi Arte Galeria
Endereço: Av. Nossa Senhora da Penha, 2053 - Santa Lúcia. Vitória - Espírito Santo (Edifício Findes). Telefone: (27) 3334-5703
Entrada gratuita.
 

Exposição: FILE São Luís 2017: Não deixe essa onda passar
Artista: Coletiva
Até 4 de junho, de terça-feira a domingo, das 10h às 19h
Local: Centro Cultural Vale Maranhão
Endereço: Av. Henrique Leal, 149 - Centro. São Luís - Maranhão.
Entrada gratuita.
 

No Dia Mundial do Teatro, Aracaju abre seu III Festival Sergipano de Artes Cênicas com espetáculo gratuito

Preparados para uma segunda-feira teatral em Aracaju-SE? É que hoje (27), Dia Mundial do Teatro, a capital sergipana abre a terceira edição de seu Festival Sergipano de Artes Cênicas.

  A terceira edição do Festival Sergipano de Artes Cênicas vai até 30 de abril, sempre gratuito

A terceira edição do Festival Sergipano de Artes Cênicas vai até 30 de abril, sempre gratuito

Ao todo, serão 5 semanas de apresentações gratuitas de teatro e dança, espalhados entre os teatros Atheneu, Lourival Batista, Tobias Barreto, praças e outros espaços públicos de Aracaju e do interior. Além disso, haverá também palestras e oficinas para profissionais da área e demais interessados. O Festival vai até 30 de abril.

Nesta primeira semana tem apresentação todo dia! Oito espetáculos subirão aos palcos, começando com a peça mineira ‘Danação’, que se apresenta logo mais às 20h no Teatro Tobias Barreto, trazendo o ator Eduardo Moreira em seu primeiro trabalho solo.

  O solo 'Danação', do mineiro Eduardo Moreira, abrirá o Festival nesta segunda-feira (27)

O solo 'Danação', do mineiro Eduardo Moreira, abrirá o Festival nesta segunda-feira (27)

Em ‘Danação’, o público vai se deparar com a narração das memórias de um homem que viveu dentro do coração de uma mulher. Nesse contexto, vida, morte, amor e memória são questões que se revelam, mesmo com pouca nitidez. As lembranças não são exatamente claras e o público é fundamental para o desenrolar da história.

  Eduardo Moreira é um dos fundadores do Grupo Galpão, de Belo Horizonte-MG

Eduardo Moreira é um dos fundadores do Grupo Galpão, de Belo Horizonte-MG

eduardo moreira 2

Eduardo Moreira é um dos fundadores do Grupo Galpão, uma das principais companhias de teatro do Brasil, com uma trajetória de 35 anos e mais de 20 espetáculos na bagagem. Ótima escolha para dar o ponta pé inicial nesse III Festival Sergipano de Artes Cênicas. Imperdível!

Confira a programação completa da primeira semana:

  Programação da primeira semana do Festival

Programação da primeira semana do Festival