Pigmum

arte e outros riscos

Filtering by Tag: natalRN

Que tal começar o ano expondo sua arte? Galerias de 3 cidades do Nordeste estão com editais de ocupação abertos. Confira!

O ano tá só no início, mas ninguém precisa esperar o carnaval passar pra começar a se planejar, né? Se você é artista, se ligue nos editais de ocupação que estão abertos em galerias de arte de Aracaju-SE, Maceió-AL e Natal-RN. Quem sabe assim você não garante exposições pro ano todinho?

Galeria de Arte J. Inácio

Visitantes contemplam as obras de Flávio Antonini na Galeria de Arte J. Inácio. O artista foi um dos selecionados no edital  de 2017

Visitantes contemplam as obras de Flávio Antonini na Galeria de Arte J. Inácio. O artista foi um dos selecionados no edital  de 2017

Você tem até 9 de fevereiro para se inscrever no edital que selecionará 6 propostas para ocupar a Galeria de Arte J. Inácio ao longo de 2018. Localizada em Aracaju-SE, anexa à Biblioteca Pública Epifânio Dórea, a J. Inácio completou 36 anos recentemente e é um dos espaços expositivos mais atuantes da cena artística sergipana.

Há 3 anos ela implantou sua política de editais de ocupação e, em 2018, cada proposta selecionada receberá uma premiação de R$ 7 mil. Podem participar artistas de todo o país, em projetos inéditos individuais ou coletivos, de linguagens como desenho, pintura, fotografia, arte eletrônica, instalações, quadrinhos, graffiti, entre outras. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelos Correios ou pessoalmente no Setor de Protocolo da Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe (Secult-SE).

Entrada da Galeria de Arte J. Inácio

Entrada da Galeria de Arte J. Inácio

A J. Inácio é um dos principais espaços expositivos de Aracaju-SE

A J. Inácio é um dos principais espaços expositivos de Aracaju-SE

O resultado será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE-SE) no dia 26 de fevereiro e a primeira exposição será montada já em março! Para mais detalhes sobre documentação, prazos e critérios de seleção, confira o edital:


Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Piso superior da galeria, durante o III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas, em 2017

Piso superior da galeria, durante o III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas, em 2017

Já a Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro, em Maceió-AL, abriu edital para selecionar – misteriosamente – uma única exposição de arte, individual ou coletiva, que ocupará a galeria entre 15 de março e 15 de maio de 2018. A exposição precisa ser inédita no circuito cultural de Alagoas e o edital não especifica se os proponentes precisam ser alagoanos ou residentes no estado (acredito que não).

Fachada da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Fachada da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Gostaria muito do entender o motivo pelo qual a Diteal (Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas), órgão que gerencia a galeria, optou por não realizar uma seleção mais ampla, que contemple propostas suficientes para planejar a ocupação anual de sua pauta de exposições. Seria apenas por motivos financeiros?

O fato é que um edital tão restrito vai de encontro com o que acontece em outras galerias públicas e, portanto, causa certo estranhamento. Talvez se a gente entender que o Complexo Cultural Teatro Deodoro, inaugurado no finalzinho de 2014, ainda está dando seus primeiros passos, dá até pra relevar... (mas estamos de olho!)

De qualquer forma, pessoas físicas ou jurídicas podem se inscrever até 25 de janeiro, unicamente pelos Correios. O edital aceita propostas nas mais diversas linguagens, bastante amplas até, como desenho, fotografia, criações digitais, escultura, graffiti, gravura, poesia visual, videoarte, instalação, performance, body art, entre outras manifestações híbridas. O artista ou grupo selecionado receberá uma premiação de R$ 10 mil.

Visitante contempla obras de arte no  térreo da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Visitante contempla obras de arte no  térreo da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

O resultado será divulgado no dia 2 de fevereiro no site da Diteal e no Diário Oficial do Estado (DOE-AL). Para mais informações sobre critérios de seleção, documentação exigida e prazos consulte o edital:


Pinacoteca Universitária da Ufal

A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

Ainda em Maceió-AL, a Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) também está com inscrições abertas para seu edital de ocupação. Criada em 1981, a Pinacoteca da Ufal provavelmente é o espaço expositivo mais representativo da cena artística contemporânea em Alagoas. Há vários anos ela consolidou sua política de editais, abrindo espaço à ampla concorrência de propostas de todo o Brasil.

A Pinacoteca da Ufal recebe propostas até 15 de janeiro

A Pinacoteca da Ufal recebe propostas até 15 de janeiro

Exposição de Hilda Moura, que foi contemplada em 2016

Exposição de Hilda Moura, que foi contemplada em 2016

As inscrições para o edital de 2018 podem ser feitas até 15 de janeiro, exclusivamente por via postal. As propostas também devem ser inéditas no circuito cultural de Alagoas. Serão aceitos trabalhos nas mais diversas linguagens artísticas (a Pinacoteca é bem flexível quanto a isso) e a seleção será feita por uma comissão especializada, composta por 7 membros que analisarão as propostas de acordo com os critérios previstos no edital.

Infelizmente a Pinacoteca não disponibiliza premiação e nem deixa claro quantos projetos serão selecionados, mas em 2017 foram 5 contemplados. Para mais detalhes, acesse o edital:


Galeria Conviv’Art

Visão geral da exposição  'Estruturas que criamos para reter' , de Leonardo Versieux, na Galeria Conviv'Art

Visão geral da exposição 'Estruturas que criamos para reter', de Leonardo Versieux, na Galeria Conviv'Art

E pra fechar o assunto, tem mais uma galeria universitária esperando a sua proposta! A Galeria Conviv'Art, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal-RN, está com edital de ocupação aberto até 16 de fevereiro. Serão selecionados 7 projetos em artes visuais que farão parte da agenda de exposições da galeria durante 2018.

As propostas podem ser individuais ou coletivas e os interessados podem ser de qualquer nacionalidade, desde que não tenham sido contemplados no edital de 2017. Ah, as exposições também precisam ser inéditas na cidade de Natal.

Outras obras de Leonardo Versieux na Galeria Conviv'Art

Outras obras de Leonardo Versieux na Galeria Conviv'Art

galeria conviv'art

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por via postal ou pessoalmente, na sede do Núcleo de Arte e Cultura (NAC), setor da universidade que gerencia a galeria. A seleção será feita por uma comissão formada por 3 especialistas, que avaliarão os projetos de acordo com critérios previstos no edital. O resultado final será publicado no site do NAC até o dia 28 de fevereiro.

Infelizmente o edital também não oferece premiação aos selecionados. =(

Consulte o edital para mais detalhes:

Boa sorte e não me decepcionem! Faço questão de ver os trabalhos de vocês nas 4 galerias! 😉

Documentário resgata a história do Halloween do Gringo’s, que já é considerado o maior Halloween de rua do Brasil

Olha que legal, gente. A jornalista Lara Paiva produziu um documentário sobre a Praça do Gringo’s e seu famoso Halloween, que há quase 10 anos reúne espontaneamente milhares de pessoas, sempre muito bem fantasiadas. Lá Pro Gringo’s faz parte de uma série de 4 documentários que fala sobre espaços urbanos de Natal (RN) e foi desenvolvido como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da jornalista.

A praça, na verdade, se chama Praça Ecológica de Ponta Negra, mas todo mundo chama de Praça do Gringo’s, porque em seu entorno está localizado o antigo Gringo’s Bar (hoje, Wesley’s Bar). E foi justamente lá que começou essa tradição de Halloween na praça.

Em 2008, Wilson Couto, que veio dos Estados Unidos só para abrir o Gringo’s Bar, organizou a primeira edição da festa, que era um evento privado, mas que ocorria na rua, em frente ao bar. Em poucos anos, a festa cresceu e acabou ganhando vida própria, tornando-se independente.

Halloween do Gringo's 2015. Fotografia: Murilo Passos/Indica Natal

Halloween do Gringo's 2015. Fotografia: Murilo Passos/Indica Natal

Hoje, existe uma polêmica sobre quem organiza o evento. Em 2015, foram duas festas. O Wesley’s Bar (herdeiro direto do Gringo’s Bar) organizou o Halloween do Wesley’s no dia 31 de outubro, mas foi na noite seguinte que a praça foi novamente ocupada por milhares de pessoas, para curtir o que já está sendo considerado o maior Halloween de rua do Brasil.

Fotos extraídas do site Apartamento 702

Fotos extraídas do site Apartamento 702

halloweendogringos3

Convenhamos, Natal é uma cidade um pouco apática no quesito ‘aglomerações espontâneas em espaços públicos’. Conseguir reunir tanta gente assim na Praça do Gringo’s é louvável. É ótimo! O que mais me chama atenção, no entanto, é que essa espontaneidade se manifesta em torno de uma festa tradicional das culturas norte-americana e europeia, mas difundida mundo afora principalmente pelos Estados Unidos.

Influência norte-americana

Moro em Natal há quase 5 anos e sempre achei curiosa a relação que a cidade estabeleceu com os norte-americanos. Durante a Segunda Guerra Mundial, Natal chegou a ser considerada um dos 4 pontos mais estratégicos do mundo, devido ao seu posicionamento geográfico na esquina do continente sul-americano. Em 1943, após uma conferência que reuniu em Natal os presidentes Getúlio Vargas (Brasil) e Franklin Roosevelt (EUA), os Estados Unidos estabeleceram uma base aérea que ficou conhecida como ‘Trampolim da Vitória’ e que foi importante para a vitória dos aliados.

Hidro-avião sobre o Rio Potengi, em Natal (RN), na década de 1940

Hidro-avião sobre o Rio Potengi, em Natal (RN), na década de 1940

A presença norte-americana em Natal alterou profundamente o cotidiano da cidade e ainda hoje é possível perceber essa influência. Natal foi praticamente recolonizada. Durante a segunda metade do século XX, por exemplo, a cidade teve um crescimento exponencial ao longo do que hoje é a sua principal via, a Av. Salgado Filho, ligando o Centro à antiga base área norte-americana (que posteriormente deu lugar ao antigo Aeroporto Internacional Augusto Severo).

Soldados se divertem na praia de Ponta Negra, na década de 1940. Fotografi  a: Ivan Dmitri - Michael Ochs Archives - Getty Image

Soldados se divertem na praia de Ponta Negra, na década de 1940. Fotografia: Ivan Dmitri - Michael Ochs Archives - Getty Image

Ruas já existentes foram rebatizadas (Por que você acha que a Av. Interventor Mário Câmara também é chamada de Avenida 6?) e, recentemente, descobri que a gíria ‘galado’, muito comum por aqui, tem sua origem nas roupas de gala que os soldados americanos usavam nas festas da cidade. Sem falar que ninguém em Natal é um ‘cara’ ou uma ‘mina’, mas sim um ‘boy’ ou até mesmo umA ‘boy’ ou ‘boyzinha’. Há quem diga ainda que os natalenses foram os primeiros brasileiros a tomar Coca-Cola e a mascar chicletes.

Sendo assim, não é de se espantar que o maior Halloween de rua do Brasil aconteça espontaneamente em Natal, numa praça que é reconhecida pelo nome de Gringo’s, graças a um boy que veio dos Estados Unidos exclusivamente para abrir um bar de rock por aqui, como vocês poderão ver no documentário. Curioso, né?