Pigmum

arte e outros riscos

Filtering by Tag: exposição de arte

Giro cultural: 9 exposições de arte no Nordeste para conferir até o fim de outubro

Com o cenário político tão conturbado que estamos vivendo neste mês de outubro, será que sobra algum espaço para a arte? A resposta é mil vezes, sim! Afinal, a arte por si só já é uma atividade política e há de continuar resistindo, sendo mais um espaço de contraponto crítico e de reverberação de questões sociais, históricas e também estéticas. Por isso, frequentar exposições de arte é também estar inserido no meio do debate político e o Pigmum tá aqui pra te ajudar.

Nesta edição do nosso giro cultural pelas exposições que estão em exibição nas capitais nordestinas, o viés político aparece na obra de Sunshine Santos, em cartaz em São Luís (MA), com uma obra que aborda o tema da condição da mulher negra no Brasil; aparece também no Recife (PE), com o trabalho fotográfico de Helder Ferrer sobre a maior reserva de Mata Atlântica de Pernambuco; tem também uma mostra coletiva em João Pessoa (PB) que discute a falência dos modos de vida na contemporaneidade; e em Natal (RN), a artista carioca Sofia Bauchwitz trata da insuficiência de se transmitir a barbárie social por meio de imagens.

E esses são só alguns destaques. Motivos para incluir essas exposições na sua agenda política não vão faltar. Confira:


Salvador (BA)

‘O Trem da História’  propõe uma viagem imaginária pelos diferentes períodos da história da arte

‘O Trem da História’ propõe uma viagem imaginária pelos diferentes períodos da história da arte

Já que outubro é o mês da criança, a gente começa com uma exposição pensada especialmente para o público infanto-juvenil. Inspirada no livro ‘O Trem da História’, de Katia Canton, a mostra propõe uma viagem imaginária de trem pelos diferentes períodos da história da arte, apresentando réplicas de obras de artistas que marcaram época, como Tarsila do Amaral, Van Gogh, Monet, Gauguin, Portinari, Degas, Picasso, Bosch, Renoir e muitos outros. Para se aproximar das crianças, as obras foram dispostas em uma altura que permite a elas a apreciação de detalhes. É uma ótima oportunidade para inseri-las no mundo da arte, não acham?

A mostra foi pensada principalmente para o público infantil

A mostra foi pensada principalmente para o público infantil

Reprodução de uma pintura de Bosch

Reprodução de uma pintura de Bosch

Reprodução de uma pintura de Rembrandt

Reprodução de uma pintura de Rembrandt

SERVIÇO:

Exposição: O Trem da História

Artistas: Coletiva

Até 16 de dezembro, de terça-feira a domingo, das 09 às 18h

Local: Caixa Cultural Salvador

Endereço: Rua Carlos Gomes, 57, Centro. Salvador – Bahia. Telefone: (71) 3421-4200

Entrada: Entrada franca


Maceió (AL)

O Salão Nacional de Arte Contemporânea de Alagoas já está em sua quarta edição

O Salão Nacional de Arte Contemporânea de Alagoas já está em sua quarta edição

O Complexo Cultural Teatro Deodoro recebe o IV Salão Nacional de Arte Contemporânea de Alagoas, reunindo 40 artistas brasileiros e três representantes internacionais, as artistas Alessandra Zucotti (Itália), Maria Rezende (Portugal) e Lúcia Hinz (radicada na Alemanha). Esta é a primeira vez que o salão recebe obras de artistas de outros países. São dezenas de trabalhos, entre pinturas, esculturas, instalações, desenhos, fotografias e videoarte, trazendo ao estado um recorte da atual produção artística brasileira.

Instalação com barquinhos de papel no espelho d’água da galeria

Instalação com barquinhos de papel no espelho d’água da galeria

Pintura de Pedro Dias

Pintura de Pedro Dias

A exposição recebeu 40 artistas ao todo

A exposição recebeu 40 artistas ao todo

 SERVIÇO:

Exposição: IV Salão de Arte Contemporânea de Alagoas

Artista: Coletiva

Até 3 de novembro, de segunda a sábado, das 8h às 18h, às quartas-feiras, das 8h às 20h e aos domingos e feriados, das 14h às 17h

Local: Complexo Cultural Teatro Deodoro

Endereço: Rua Barão de Maceió, s/n - Centro. Maceió - Alagoas. Telefone: (82) 3315-5660

Entrada gratuita.


João Pessoa (PB)

Montagem de  ‘Iminência da Tragêdia’  durante temporada em São Paulo

Montagem de ‘Iminência da Tragêdia’ durante temporada em São Paulo

 As urgências dos nossos tempos, as falências dos modos de vida e os jogos de enquadramento do mundo são alguns dos temas explorados pelas artistas Denise Alves-Rodrigues, Fabiana Faleiros, Marta Pennerr, Marina Zilbersztein, Noara Quintana e Potira Maia na coletiva ‘Iminência da Tragédia’. Em tempos de fake news, os questionamentos sobre nossa percepção da realidade parecem – mais do que nunca – ser um campo onde a arte contemporânea inevitavelmente deve estar, inclusive promovendo o estímulo ao pensamento crítico. A mostra traz artistas que vivem em São Paulo e na Paraíba. A ideia é promover o intercâmbio e a circulação da produção artística contemporânea em diferentes circuitos expositivos.

Iminência da Tragédia Casarão 34
Pinturas de Potira Maia

Pinturas de Potira Maia

Pintura de Potira Maia

Pintura de Potira Maia


SERVIÇO:

Exposição: Iminência da Tragédia

Artista: Coletiva

Até 20 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h

Local: Casarão 34

Endereço: Praça Dom Adauto, 34 – Centro. João Pessoa – Paraíba. Telefone: (83) 3218-9708

Entrada gratuita.


Fortaleza (CE)

Os retratos pintados por Juca Máximo. Fotografia: Márcia Travessoni Galeria

Os retratos pintados por Juca Máximo. Fotografia: Márcia Travessoni Galeria

Com passagem por países como Áustria, Alemanha, Canadá, Japão e Paquistão, o cearense Juca Máximo finalmente realiza sua primeira exposição em Fortaleza. São 17 pinturas com retratos de gente que o artista, silenciosamente, observa nas ruas, em seu cotidiano, transformando rostos em traços, cores e texturas. A escolha do restaurante Sótão Moleskine como espaço expositivo não foi por acaso. Segundo o artista, sua intenção era estar mais próximo do público, em um local de bastante movimento.

Juca Máximo Me Tenha, Distância
Juca Máximo Me Tenha, Distância
As obras de Juca Máximo já foram expostas em vários países. Fotografia: Márcia Travessoni Galeria

As obras de Juca Máximo já foram expostas em vários países. Fotografia: Márcia Travessoni Galeria

SERVIÇO:

Exposição: Me tenha, distância

Artista: Juca Máximo

Até 16 de novembro, de segunda a quinta-feira, das 17h às 00h e de sexta-feira a domingo, das 12h às 00h

Local: Restaurante Sótão Moleskine

Endereço: Rua Professor Dias da Rocha, 578 – Meireles. Fortaleza – Ceará. Telefone: (85) 3037-1700

Entrada gratuita.


Natal (RN)

Composição de Sofia Bauchwitz

Composição de Sofia Bauchwitz

Na exposição ‘Até sair do mapa’, a carioca Sofia Bauchwitz reafirma sua luta pelo direito de caminhar pelo mundo em busca de um horizonte renovado. A artista apresenta uma instalação com textos, fotografias, pinturas e pedras, entrando no campo tridimensional para questionar as limitações presentes no ato de enquadrar imagens, sejam em fotografias, quadros ou janelas. Trata-se da insuficiência de se transmitir a barbárie social por meio desses enquadramentos. A exposição nos convida a sair do plano e ganhar o mundo lá fora.

Sofia Bauchwitz
Sofia Bauchwitz
Sofia Bauchwitz

SERVIÇO:

Exposição: Até sair do mapa

Artista: Sofia Bauchwitz

Até 26 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h

Local: Galeria Conviv’art

Endereço: Avenida Senador Salgado Filho, 3000, Sala 11, Campus Universitário UFRN – Lagoa Nova. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 3215-3240 (Centro de Convivência Djalma Marinho)

E-mail: galeriaconvivart@gmail.com

Entrada gratuita.


Teresina (PI)

Nesta exposição, as pintura de Avelar Amorim trazem crianças e diferentes maneiras de se entender o sentido da palavra erê

Nesta exposição, as pintura de Avelar Amorim trazem crianças e diferentes maneiras de se entender o sentido da palavra erê

Ainda em clima de mês da criança, o artista visual piauiense Avelar Amorim celebra as alegrias da infância com a diversidade de cores de seu trabalho, na exposição ‘Erê’, que no idioma iorubá é uma expressão associada à ‘brincadeira’. A exposição está em cartaz no café O Guarany, no Jóquei, e apresenta 23 pinturas, entre acrílico sobre tela e aquarela.

Avelar Amorim Erê
Avelar Amorim Erê

SERVIÇO:

Exposição: Erê

Artista: Avelar Amorim

Até 29 de outubro, de segunda-feira a sábado, das 9h às 21h

Local: Cafeteria O Guarany

Endereço: Rua Aviador Irapuã Rocha, 1212 – Jóquei, Teresina – Piauí. Telefone: (86) 3233-3311

Entrada gratuita.


Recife (PE)

Fotografia: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Fotografia: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

A Arte Plural Galeria recebe as fotografias de Helder Ferrer. Fotografia: Hélia Scheppa

A Arte Plural Galeria recebe as fotografias de Helder Ferrer. Fotografia: Hélia Scheppa

O ciclo de renovação da Mata Atlântica é tema da exposição ‘Caos – Fertilidade e Mistérios’, do fotógrafo Helder Ferrer. São 22 imagens, feitas em cenários naturais de Aldeia, na região metropolitana do Recife. É lá que está a maior reserva de Mata Atlântica de Pernambuco e onde o artista foi morar há cerca de 2 anos. Desde então, o interesse pela floresta se tornou constante e o artista passou a se aventurar mata adentro, descobrindo sons, texturas e detalhes da fauna e da flora do lugar. Acima de tudo, os registros de Ferrer também expressam um grito da natureza pela sua preservação.

‘Fertilidade’,  pigmento mineral sobre papel, foto de Helder Ferrer, presente na exposição

‘Fertilidade’, pigmento mineral sobre papel, foto de Helder Ferrer, presente na exposição

‘Mistério 1’ , pigmento mineral sobre papel, foto de Helder Ferrer, presente na exposição

‘Mistério 1’, pigmento mineral sobre papel, foto de Helder Ferrer, presente na exposição

SERVIÇO:

Exposição: Caos – Fertilidade e Mistérios

Artista: Helder Ferrer

Até 21 de dezembro, de terça a sexta-feira, das 13h às 19h e aos sábados, das 16h às 20h

Local: Arte Plural Galeria

Endereço: Rua da Moeda, 140, Recife Antigo. Recife – Pernambuco. Telefone: (81) 3424-4431

Entrada gratuita.


Aracaju (SE)

Pequena instalação de Rick Rodrigues

Pequena instalação de Rick Rodrigues

O que é um lar? Já parou pra pensar sobre as qualidades que estão relacionadas a esse conceito? O espaço de habitação, o conforto da intimidade, a moradia como proteção... essas são algumas discussões que o artista visual capixaba Rick Rodrigues propõe em seu trabalho poético. Composta por desenhos, bordados, objetos e pequenas instalações, a exposição ‘Eu sou o meu lar’ expressa com sutileza que um lar é muito mais do que uma casa.

A sutileza poética de Rick Rodrigues se manifesta principalmente em seus bordados

A sutileza poética de Rick Rodrigues se manifesta principalmente em seus bordados

Rick Rodrigues Eu sou o meu lar
Rick Rodrigues Eu sou o meu lar

SERVIÇO:

Exposição: Eu sou o meu lar

Artista: Rick Rodrigues

Até 8 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h

Local: Galeria de Arte do Sesc-SE

Endereço: Rua Senador Rollemberg, 301 – São José. Aracaju – Sergipe. Telefone: (79) 3216-2753

E-mail: sescgaleria@gmail.com

Entrada gratuita.


São Luís (MA)

Walter Sá propõe uma releitura pop do cazumba, personagem do bumba-meu-boi

Walter Sá propõe uma releitura pop do cazumba, personagem do bumba-meu-boi

O Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM) recebe três artistas visuais na edição deste ano do projeto Ocupa CCVM 2018. Os artistas, que foram selecionados via edital, realizaram obras especialmente para os espaços do CCVM, são eles: ‘Nega Sim, Sua Não’, de Sunshine Santos, que aborda o tema da condição da mulher negra no Brasil; ‘#caz(1)bando’, do artista Walter Sá, que propõe uma releitura pop da figura do cazumba, personagem do bumba-meu-boi da Baixada Maranhense; e por fim, ‘Gestos Fósseis’, instalação de Romana Maria, que apresenta suas investigações sobre a gestualidade na escultura em cerâmica.

Instalação  ‘Gestos Fósseis’ , de Romana Maria

Instalação ‘Gestos Fósseis’, de Romana Maria

Detalhe da obra  ‘Nega Sim, Sua Não’ , de Sunshine Santos

Detalhe da obra ‘Nega Sim, Sua Não’, de Sunshine Santos

SERVIÇO:

Exposição: Ocupa CCVM 2018

Artista: Coletiva

Até 22 de dezembro, de terça-feira a domingo, das 10h às 19h

Local: Centro Cultural Vale Maranhão

Endereço: Av. Henrique Leal, 149 – Praia Grande. São Luís - Maranhão.

Entrada gratuita.

Últimos dias para se inscrever no edital de ocupação da Galeria de Arte do Sesc-RN

Boa notícia pra quem mora no Rio Grande do Norte! Se você é artista e não vê a hora de montar sua próxima exposição (ou até mesmo a primeira!), então corra porque você só tem até o dia 12 de setembro para se inscrever no edital de ocupação da Galeria de Arte do Sesc Cidade Alta, em Natal-RN.

Galeria Sesc Cidade Alta durante vernissage da exposição  'Sisọ ọrọ: imagens falantes' , do artista Gil Leal, selecionada no edital 2017

Galeria Sesc Cidade Alta durante vernissage da exposição 'Sisọ ọrọ: imagens falantes', do artista Gil Leal, selecionada no edital 2017

Ao todo, serão selecionados 4 projetos em artes visuais para integrar a agenda de exposições da galeria durante 2019 e cada projeto contemplado receberá um prêmio de incentivo no valor de R$ 2.500. As propostas podem ser individuais ou coletivas, mas as pessoas interessadas devem ser residentes no Rio Grande do Norte, porque o objetivo da instituição é, principalmente, estimular a produção artística no Estado.

O edital aceita propostas em diversas linguagens, entre elas desenho, colagem, fotografia, gravura, pintura, escultura, instalação, entre outras, desde que as exposições consigam se adequar ao espaço físico da galeria, que é de 36,45m². É, eu sei, é um espaço pequeno, mas significativo no circuito expositivo potiguar!

Imagens da planta baixa da galeria, que tem espaço total de 36,45m²

Imagens da planta baixa da galeria, que tem espaço total de 36,45m²

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail cultura@rn.sesc.com.br ou pessoalmente, na sede do Sesc Cidade Alta, em Natal. Também dá pra enviar a documentação pelos Correios, mas aí a postagem terá que ser feita por entrega rápida (e vai sair mais caro 😉).

Imagens da exposição  'A Estrada é Longa' , de Lucas MDS, mais recente mostra da galeria. Também contemplada no edital 2017

Imagens da exposição 'A Estrada é Longa', de Lucas MDS, mais recente mostra da galeria. Também contemplada no edital 2017

galeria sesc cidade alta natal

A seleção será feita por uma comissão formada por 5 membros, que avaliarão os projetos de acordo com critérios previstos no edital. A lista de projetos inscritos será divulgada em 14 de setembro e o resultado final, no dia 28 de setembro.

Pra mais informações, você vai ter que acessar o edital. Boa sorte!

*Atenção: no edital, a data que consta como prazo final para inscrição está 7 de setembro, porém esse prazo foi prorrogado para 12 de setembro.

Mais 3 editais de ocupação estão abertos em galerias de arte do Nordeste

Há cerca de duas semanas, o Pigmum divulgou uma listinha com editais de ocupação abertos em galerias de arte de Aracaju-SE, Maceió-AL e Natal-RN. E não é que eu encontrei mais 3 editais circulando por aí?! Se você é artista e tá com seu trabalho prontinho só esperando uma oportunidade para expor, tome nota:

Galerias de Arte do Sesc Alagoas

A Galeria de Arte do Sesc Centro, em Maceió-AL, recebe exposições de arte desde 1997

A Galeria de Arte do Sesc Centro, em Maceió-AL, recebe exposições de arte desde 1997

E a gente já começa com uma dobradinha no Sesc Alagoas! Você pode expor seu trabalho artístico nas duas galerias de arte da instituição, uma na unidade do centro de Maceió e a outra na unidade do município de Arapiraca. Basta inscrever sua proposta até 23 de fevereiro, indicando em qual galeria você pretende expor ou se tem a disponibilidade de expor nas duas.

O Sesc Arapiraca, no agreste alagoano, inaugurou sua galeria de arte em 2010

O Sesc Arapiraca, no agreste alagoano, inaugurou sua galeria de arte em 2010

O processo será todo feito por e-mail e a documentação exigida deve ser enviada para o endereço convocatoria_artesvisuais@outlook.com. A convocatória é bastante livre e adianta que a programação de artes visuais poderá ser composta também por convite, caso seja necessário. Não há indicação de quantos artistas serão selecionados, mas o Sesc Alagoas garante cachê e também suporte financeiro para curadoria e montagem da exposição.

Exposição da artista alagoana Hilda Moura na Galeria de Arte do Sesc Arapiraca

Exposição da artista alagoana Hilda Moura na Galeria de Arte do Sesc Arapiraca

A convocatória aceita propostas de pintura, desenho, gravura, escultura, fotografia, instalação e obras multimeios. Podem se inscrever artistas de todo o país, embora o fomento à produção artística alagoana seja prioridade para o Sesc Alagoas. Ah, é importante dizer ainda que os proponentes não podem ter participado de exposição na instituição durante os últimos 5 anos.

As exposições de artes visuais do Sesc Alagoas são realizadas desde 1997 e já contou com artistas locais e nacionais. Ao longo de duas décadas, a Galeria de Arte do Sesc Centro se consolidou no circuito artístico alagoano como um dos principais espaços expositivos de Maceió. Em 2010, o Sesc-AL inaugurou mais uma galeria na unidade de Arapiraca, expandindo seu projeto de artes visuais para o interior. Veja mais detalhes:


Pinacoteca Potiguar

Fachada do Palácio Potengi, que foi sede do Governo do RN até 1995 e hoje abriga a Pinacoteca Potiguar

Fachada do Palácio Potengi, que foi sede do Governo do RN até 1995 e hoje abriga a Pinacoteca Potiguar

O Palácio Potengi - antiga sede do Governo do Estado do Rio Grande do Norte - abriga hoje a Pinacoteca Potiguar e a maior parte do acervo público de obras de arte do estado. Mas além da exposição de longa duração de seu acervo permanente, a Pinacoteca também recebe exposições temporárias em suas salas do piso térreo e está com edital de ocupação aberto para o ano de 2018.

Os interessados têm até o dia 22 de janeiro para realizar suas inscrições pelos Correios ou na sede da Fundação José Augusto, órgão do Governo responsável pela Pinacoteca. Podem se inscrever artistas ou coletivos artísticos de todo o Brasil e também do exterior, mas todos as despesas ficam sob responsabilidade dos proponentes e a Pinacoteca não oferece cachê aos selecionados.

Uma das salas de exposições temporárias da Pinacoteca Potiguar

Uma das salas de exposições temporárias da Pinacoteca Potiguar

É até de se estranhar abrir um edital com tamanha abrangência quando não se oferece nenhuma contrapartida financeira aos artistas. A Pinacoteca Potiguar, além de ser um dos principais símbolos culturais do RN, é um equipamento público e já está mais do que na hora do Governo repensar com seriedade suas políticas culturais. Sem investimentos, não dá para ampliar o leque de ações da Pinacoteca e, de fato, transformá-la em uma instituição viva e atuante na sociedade.

O edital não especifica ou restringe nenhuma técnica ou linguagem artística, mas deixa claro que não serão permitidas alterações na estrutura física do prédio, que é um patrimônio tombado pelo IPHAN. Também não indica quantos projetos serão selecionados e nem quando terá início a temporada de exposições.

Saguão de entrada da Pinacoteca Potiguar

Saguão de entrada da Pinacoteca Potiguar

A Poinacoteca é responsável também pela manutenção do mobiliário do antigo salão de reuniões e solenidades do Governo do RN

A Poinacoteca é responsável também pela manutenção do mobiliário do antigo salão de reuniões e solenidades do Governo do RN

O resultado será divulgado no dia 5 de fevereiro e publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) no dia 23 de fevereiro, após o período de recursos.

Para mais informações:


Galeria de Artes Irene Medeiros

A Galeria de Artes Irene Medeiros é um equipamento da Prefeitura de Campina Grande-PB e funciona no térreo do Teatro Municipal Severino Cabral

A Galeria de Artes Irene Medeiros é um equipamento da Prefeitura de Campina Grande-PB e funciona no térreo do Teatro Municipal Severino Cabral

E pra fechar essa lista, temos mais uma cidade do interior nordestino! Localizada no térreo do Teatro Municipal Severino Cabral, em Campina Grande-PB, a Galeria de Artes Irene Medeiros está com edital de ocupação aberto até 20 de janeiro para exposições individuais ou coletivas de artistas interessados do Brasil e do exterior.

Assim como na Pinacoteca Potiguar, o edital também não prevê custeio de despesas com transporte e montagem, nem mesmo cachê aos selecionados, o que possivelmente dificulta a participação de artistas que estejam fora da Paraíba ou até mesmo de Campina Grande. Fica aqui registrado também o ponto de atenção para que a Prefeitura de Campina Grande repense suas políticas culturais e reserve recursos financeiros para os próximos editais.

Grupo durante visita a uma exposição temporária

Grupo durante visita a uma exposição temporária

Fachada do Teatro Municipal Severino Cabral

Fachada do Teatro Municipal Severino Cabral

As inscrições estão sendo feitas por e-mail e a documentação exigida deve ser enviada ao endereço galeriairenemedeiros@gmail.com. O resultado será comunicado no dia 30 de janeiro também por e-mail e nos veículos de comunicação online do Teatro Severino Cabral.

Confira o edital:

BÔNUS:

Pinacoteca Universitária da Ufal

A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

As inscrições foram prorrogadas até 26 de janeiro

As inscrições foram prorrogadas até 26 de janeiro

O prazo para inscrição no edital de ocupação da Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) foi prorrogado até 26 de janeiro! O Pigmum já havia divulgado esse edital, que originalmente aceitaria inscrições até 15 de janeiro, mas agora artistas do Brasil todo terão mais tempo para enviar suas propostas, exclusivamente por via postal. Lembrando que essas propostas deverão ser inéditas no circuito cultural alagoano.

Para informações mais detalhadas, confira:

Que tal começar o ano expondo sua arte? Galerias de 3 cidades do Nordeste estão com editais de ocupação abertos. Confira!

O ano tá só no início, mas ninguém precisa esperar o carnaval passar pra começar a se planejar, né? Se você é artista, se ligue nos editais de ocupação que estão abertos em galerias de arte de Aracaju-SE, Maceió-AL e Natal-RN. Quem sabe assim você não garante exposições pro ano todinho?

Galeria de Arte J. Inácio

Visitantes contemplam as obras de Flávio Antonini na Galeria de Arte J. Inácio. O artista foi um dos selecionados no edital  de 2017

Visitantes contemplam as obras de Flávio Antonini na Galeria de Arte J. Inácio. O artista foi um dos selecionados no edital  de 2017

Você tem até 9 de fevereiro para se inscrever no edital que selecionará 6 propostas para ocupar a Galeria de Arte J. Inácio ao longo de 2018. Localizada em Aracaju-SE, anexa à Biblioteca Pública Epifânio Dórea, a J. Inácio completou 36 anos recentemente e é um dos espaços expositivos mais atuantes da cena artística sergipana.

Há 3 anos ela implantou sua política de editais de ocupação e, em 2018, cada proposta selecionada receberá uma premiação de R$ 7 mil. Podem participar artistas de todo o país, em projetos inéditos individuais ou coletivos, de linguagens como desenho, pintura, fotografia, arte eletrônica, instalações, quadrinhos, graffiti, entre outras. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelos Correios ou pessoalmente no Setor de Protocolo da Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe (Secult-SE).

Entrada da Galeria de Arte J. Inácio

Entrada da Galeria de Arte J. Inácio

A J. Inácio é um dos principais espaços expositivos de Aracaju-SE

A J. Inácio é um dos principais espaços expositivos de Aracaju-SE

O resultado será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE-SE) no dia 26 de fevereiro e a primeira exposição será montada já em março! Para mais detalhes sobre documentação, prazos e critérios de seleção, confira o edital:


Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Piso superior da galeria, durante o III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas, em 2017

Piso superior da galeria, durante o III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas, em 2017

Já a Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro, em Maceió-AL, abriu edital para selecionar – misteriosamente – uma única exposição de arte, individual ou coletiva, que ocupará a galeria entre 15 de março e 15 de maio de 2018. A exposição precisa ser inédita no circuito cultural de Alagoas e o edital não especifica se os proponentes precisam ser alagoanos ou residentes no estado (acredito que não).

Fachada da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Fachada da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Gostaria muito do entender o motivo pelo qual a Diteal (Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas), órgão que gerencia a galeria, optou por não realizar uma seleção mais ampla, que contemple propostas suficientes para planejar a ocupação anual de sua pauta de exposições. Seria apenas por motivos financeiros?

O fato é que um edital tão restrito vai de encontro com o que acontece em outras galerias públicas e, portanto, causa certo estranhamento. Talvez se a gente entender que o Complexo Cultural Teatro Deodoro, inaugurado no finalzinho de 2014, ainda está dando seus primeiros passos, dá até pra relevar... (mas estamos de olho!)

De qualquer forma, pessoas físicas ou jurídicas podem se inscrever até 25 de janeiro, unicamente pelos Correios. O edital aceita propostas nas mais diversas linguagens, bastante amplas até, como desenho, fotografia, criações digitais, escultura, graffiti, gravura, poesia visual, videoarte, instalação, performance, body art, entre outras manifestações híbridas. O artista ou grupo selecionado receberá uma premiação de R$ 10 mil.

Visitante contempla obras de arte no  térreo da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Visitante contempla obras de arte no  térreo da Galeria de Artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro

O resultado será divulgado no dia 2 de fevereiro no site da Diteal e no Diário Oficial do Estado (DOE-AL). Para mais informações sobre critérios de seleção, documentação exigida e prazos consulte o edital:


Pinacoteca Universitária da Ufal

A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

A exposição retrospectiva de Marta Arruda foi um dos destaques de 2016 da Pinacoteca da Ufal

Ainda em Maceió-AL, a Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) também está com inscrições abertas para seu edital de ocupação. Criada em 1981, a Pinacoteca da Ufal provavelmente é o espaço expositivo mais representativo da cena artística contemporânea em Alagoas. Há vários anos ela consolidou sua política de editais, abrindo espaço à ampla concorrência de propostas de todo o Brasil.

A Pinacoteca da Ufal recebe propostas até 15 de janeiro

A Pinacoteca da Ufal recebe propostas até 15 de janeiro

Exposição de Hilda Moura, que foi contemplada em 2016

Exposição de Hilda Moura, que foi contemplada em 2016

As inscrições para o edital de 2018 podem ser feitas até 15 de janeiro, exclusivamente por via postal. As propostas também devem ser inéditas no circuito cultural de Alagoas. Serão aceitos trabalhos nas mais diversas linguagens artísticas (a Pinacoteca é bem flexível quanto a isso) e a seleção será feita por uma comissão especializada, composta por 7 membros que analisarão as propostas de acordo com os critérios previstos no edital.

Infelizmente a Pinacoteca não disponibiliza premiação e nem deixa claro quantos projetos serão selecionados, mas em 2017 foram 5 contemplados. Para mais detalhes, acesse o edital:


Galeria Conviv’Art

Visão geral da exposição  'Estruturas que criamos para reter' , de Leonardo Versieux, na Galeria Conviv'Art

Visão geral da exposição 'Estruturas que criamos para reter', de Leonardo Versieux, na Galeria Conviv'Art

E pra fechar o assunto, tem mais uma galeria universitária esperando a sua proposta! A Galeria Conviv'Art, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal-RN, está com edital de ocupação aberto até 16 de fevereiro. Serão selecionados 7 projetos em artes visuais que farão parte da agenda de exposições da galeria durante 2018.

As propostas podem ser individuais ou coletivas e os interessados podem ser de qualquer nacionalidade, desde que não tenham sido contemplados no edital de 2017. Ah, as exposições também precisam ser inéditas na cidade de Natal.

Outras obras de Leonardo Versieux na Galeria Conviv'Art

Outras obras de Leonardo Versieux na Galeria Conviv'Art

galeria conviv'art

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por via postal ou pessoalmente, na sede do Núcleo de Arte e Cultura (NAC), setor da universidade que gerencia a galeria. A seleção será feita por uma comissão formada por 3 especialistas, que avaliarão os projetos de acordo com critérios previstos no edital. O resultado final será publicado no site do NAC até o dia 28 de fevereiro.

Infelizmente o edital também não oferece premiação aos selecionados. =(

Consulte o edital para mais detalhes:

Boa sorte e não me decepcionem! Faço questão de ver os trabalhos de vocês nas 4 galerias! 😉

Artista do mês : Alexandre Filho e seu lirismo visual pela cultura nordestina

Alexandre Filho é um verdadeiro patrimônio vivo da arte popular brasileira, reconhecido internacionalmente como um dos principais artistas naïfs do país e é com ele que o Pigmum inaugura a seção Artista do Mês, que vai trazer mensalmente conteúdos especiais sobre a obra de artistas do Brasil!

As telas de Alexandre Filho são marcadas pela abundância de cores luminosas e pela referência à cultura nordestina, sempre representada de forma poética

As telas de Alexandre Filho são marcadas pela abundância de cores luminosas e pela referência à cultura nordestina, sempre representada de forma poética

Com 50 anos de carreira, esse paraibano de 85 anos já realizou exposições em países como França, Portugal, Espanha, México, Uruguai, Estados Unidos, Bélgica e Nigéria. Agora seu nome acaba de batizar a nova galeria de arte da Usina Cultural Energisa, em João Pessoa e para inaugurar esse novo espaço expositivo, nada melhor do que uma mostra do próprio homenageado. A exposição ‘Alexandre Filho - Pinturas e Gravura’, que fica em cartaz até 30 de setembro, é inclusive um dos destaques do nosso giro cultural de setembro pelas exposições em cartaz no Nordeste. Clique e confira!

A Galeria de Arte Alexandre Filho foi inaugurada no prédio da Usina Cultural Energisa, em João Pessoa-PB, com uma exposição dedicada ao próprio artista homenageado

A Galeria de Arte Alexandre Filho foi inaugurada no prédio da Usina Cultural Energisa, em João Pessoa-PB, com uma exposição dedicada ao próprio artista homenageado

Várias telas da exposição são inéditas e fazem parte de coleções particulares

Várias telas da exposição são inéditas e fazem parte de coleções particulares

Nascido em 1932, no município paraibano de Bananeiras, Alexandre Filho teve uma juventude difícil. Trabalhou na lavoura até os 17 anos e também foi servente, caixeiro e operário. Não chegou a concluir o curso primário, mas a paixão pelo desenho – que ele nutria desde criança – transformou Alexandre em um artista autodidata e foi assim que ele encontrou o seu próprio traço.

Os ícones da devoção cristã do são temas recorrentes na obra de Alexandre Filho

Os ícones da devoção cristã do são temas recorrentes na obra de Alexandre Filho

A vida simples do interior do Nordeste também é retratada com lirismo  naïf 

A vida simples do interior do Nordeste também é retratada com lirismo naïf 

Outra característica da obra de Alexandre Filho é a ausência de perspectiva e de sombra

Outra característica da obra de Alexandre Filho é a ausência de perspectiva e de sombra

A mudança para o Rio de Janeiro em 1964 também foi fundamental. Foi lá que o desenhista amador começou a pintar, incentivado pelo amigo e também artista Luiz Canabrava.

A obra de Alexandre Filho ganhou reconhecimento internacional ainda entre os anos 1960 e 1970

A obra de Alexandre Filho ganhou reconhecimento internacional ainda entre os anos 1960 e 1970

Alexandre Filho

O reconhecimento não demorou muito. Logo, a arte de Alexandre Filho começou a chamar a atenção pela leveza do traçado arredondado, pelas cores cheias de luz, pelo lirismo da relação entre a figura humana e a natureza e pela memória coletiva do povo nordestino, tão presente em suas telas. E não foi à toa que em 1975 o artista retornou à Paraíba, onde vive até hoje, ainda em atividade.

A memória coletiva da cultura nordestina é uma constante nas pinturas do artista, assim como a flora da região

A memória coletiva da cultura nordestina é uma constante nas pinturas do artista, assim como a flora da região

Alexandre Filho
A mostra 'Alexandre Filho - Pinturas e Gravura' apresenta 17 obras no total

A mostra 'Alexandre Filho - Pinturas e Gravura' apresenta 17 obras no total

Além de ser uma justa homenagem a esse artista, a exposição em cartaz na Usina Cultural Energisa conta com obras inéditas, que pertencem a acervos particulares e que, por isso, nunca foram exibidas antes. Nem preciso dizer que a visita é imperdível, né?


SERVIÇO:

Exposição: Alexandre Filho - Pinturas e Gravura
Artista: Alexandre Filho
Até 30 de setembro, de terça-feira a domingo, das 14h às 20h
Local: Usina Cultural Energisa
Endereço: Rua João Bernardo de Albuquerque, 243, Tambiá. João Pessoa – Paraíba. Telefone: (83) 3221-6343
Entrada gratuita.

Bienal de Arte Digital aceita inscrições de trabalho até 17 de setembro. Participe!

Nem bem acabou o #16.ART Encontro Internacional de Arte e Tecnologia que rolou essa semana em Brasília-DF e já temos outra notícia sobre o tema! É que estão abertas até o próximo dia 17 de setembro as inscrições de trabalhos artísticos e de pesquisadores para a Bienal de Arte Digital 2018, que acontecerá no Rio de Janeiro-RJ (entre fevereiro e março) e Belo Horizonte-MG (entre março e abril).

Com o tema ‘Linguagens Híbridas’, a bienal vai explorar o potencial de obras artísticas que transitam entre o real e o simulado, entre o digital e o analógico e entre o natural e o artificial. Desde que as tecnologias digitais passaram a ser um fator constitutivo da vida humana, essas dualidades apontam a necessidade de ampliar nossa visão de realidade e de produzir em outros ritmos, outras temporalidades e outros espaços. Nesse contexto, pesquisas científicas são reapropriadas e transformadas em linguagens artísticas.

O natural e o artificial coabitando o mesmo espaço ou inaugurando novos espaços?

O natural e o artificial coabitando o mesmo espaço ou inaugurando novos espaços?

Para se inscrever, basta preencher o formulário eletrônico disponível no site do evento. Podem participar criadores, produtores, pesquisadores, coletivos e artistas – brasileiros e estrangeiros – com trabalhos em Arte Digital, Arte Sonora, VideoArt, Instalações Imersivas, Realidade Aumentada, Realidade Virtual, Performances em VideoMapping, Visual Music, Machine Performance, Intervenções Públicas Interativas, GameArt, MobileArt, BioArte, WebArt, Hacktivismo, entre outros gêneros que podem ser conferidos no edital do evento.

A Bienal de Arte Digital vai explorar as potencialidades artísticas das tecnologias digitais e suas conexões com o nosso cotidiano

A Bienal de Arte Digital vai explorar as potencialidades artísticas das tecnologias digitais e suas conexões com o nosso cotidiano

Além da exposição e das performances, a bienal também vai contar com outras atividades, como oficinas e um simpósio internacional para apresentação de resultados de pesquisa. Portanto, os estudiosos e especialistas na área também podem submeter suas propostas.

O resultado da seleção será divulgado ainda em outubro deste ano e os selecionados terão acesso a transporte, hospedagem, montagem, logística dos projetos e cachê de participação, de acordo com a disponibilidade do evento.

O real e o simulado; o material e o imaterial se confundem nesse novo contexto

O real e o simulado; o material e o imaterial se confundem nesse novo contexto

A Bienal de Arte Digital é uma edição especial do já tradicional Festival de Arte Digital (FAD), que acontece desde 2007 em Belo Horizonte. Em 2018, as ações acontecerão no Oi Futuro do Flamengo (Rio de Janeiro) e no Museu de Arte da Pampulha (Belo Horizonte).

Acesse os links abaixo para conferir o edital e fazer sua inscrição. Demais dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail: call@festivaldeartedigital.com.br

Na próxima semana Brasília será a capital da Arte e Tecnologia! Prepare-se para o #16.ART!

Se você estiver em Brasília-DF na próxima semana, então eu tenho uma dica muito boa pra te dar! É que entre os dias 4 e 7 de setembro o Museu Nacional da República vai sediar o #16.ART Encontro Internacional de Arte e Tecnologia, um dos principais eventos de Arte e Tecnologia do país! E o melhor? Aberto ao público!

A etapa brasileira da #16.ART acontece entre 4 e 7 de setembro, em Brasília-DF

A etapa brasileira da #16.ART acontece entre 4 e 7 de setembro, em Brasília-DF

Sobre Arte e Tecnologia a gente já falou, lembra? Pois então, serão 4 dias de mesas redondas com pesquisadores da área e palestras com convidados nacionais e internacionais, discutindo sobre essa nova onda criativa que surge a partir dos diálogos possíveis entre arte, ciência e tecnologia.

E claro que o evento não iria se restringir apenas aos especialistas. Ainda nesta segunda-feira (4), às 20h, haverá também a abertura da exposição ‘Retina’, com mais de 20 obras de Arte e Tecnologia que ocuparão o hall do Museu Nacional.

Durante 4 dias, a capital federal será também a capital da Arte e Tecnologia

Durante 4 dias, a capital federal será também a capital da Arte e Tecnologia

O evento acontecerá no Museu Nacional da República, assim como a exposição  'Retina'

O evento acontecerá no Museu Nacional da República, assim como a exposição 'Retina'

Com o tema ‘Imaginar o Real’, o #16.ART pretende atualizar discursos recorrentes quando se fala em pesquisa e produção artística de Arte e Tecnologia, explorando conceitos que estão se expandindo cada vez mais no pensamento contemporâneo, como inteligência artificial, presença à distância, ubiquidade, simulação, trabalho colaborativo, coautoria, interatividade, ciberativismo, hipertextualidade, entre outros.

Após a etapa brasileira, o #16.ART segue para a Universidade do Porto, em Portugal

Após a etapa brasileira, o #16.ART segue para a Universidade do Porto, em Portugal

Esses conceitos desafiam não apenas a arte, mas ganham terreno inclusive em nosso convívio em sociedade, afetando diretamente o próprio cotidiano. O #16.ART vai questionar principalmente como os artistas contemporâneos lidam com esses temas em seus processos criativos, que muitas vezes colocam em xeque o que sabemos sobre realidade, virtualidade, materialidade e imaterialidade.

O evento é realizado pelo Media Lab/BR, que é uma rede de pesquisa formada por três universidades (UFG/UnB/UNIFESSPA) e que se dedica ao desenvolvimento de projetos de inovação em mídias interativas, com forte atuação cultural, social e artística. Em outubro, o #16.ART segue para a Universidade do Porto, em Portugal, onde acontecerá uma versão expandida do evento, com direito a submissão de artigos, trabalhos para exposição e pôsteres. As inscrições para o #16.ART Portugal podem ser feitas até 10 de setembro.

Sério, gente, é imperdível! Confira a programação completa da etapa brasileira e também o site da versão portuguesa do evento:

Giro cultural: as melhores exposições no Nordeste para conferir até o fim de junho

Já estamos na reta final do mês do São João e tem muita exposição de arte em cartaz que só está esperando a sua visita pra também ser encerrada. Portanto, antes que a fogueira se apague, corra até a mostra mais próxima a você! Como de costume, o Pigmum selecionou uma exposição em cada capital do Nordeste pra te ajudar a se programar. Confira:

Salvador (BA)

Duas crianças Saarauis correndo pelo deserto do Saara

Duas crianças Saarauis correndo pelo deserto do Saara

Nuvens no mar do Caribe após passagem de furacão

Nuvens no mar do Caribe após passagem de furacão

O vento é o elemento que aproxima duas realidades completamente diferentes nesta exposição fotográfica. De um lado, o fotógrafo Rogério Ferrari reuniu imagens feitas em 2008 no Saara Ocidental, com registros do povo Saaraui, que vive refugiado em uma região contestada pelo Marrocos; do outro lado, as fotografias de Simone Carvalho apresentam o céu do Caribe após a passagem de um furacão, em setembro de 2015. Dois contextos distintos unidos por uma beleza incontestável!

A exposição está em cartaz na galeria RV Cultura e Arte

A exposição está em cartaz na galeria RV Cultura e Arte

O povo Sarraui habita uma região desértica ocupada há décadas pelo Marrocos

O povo Sarraui habita uma região desértica ocupada há décadas pelo Marrocos

Vista aérea do Caribe

Vista aérea do Caribe

Exposição: O Espaço Vento
Artistas: Rogério Ferrari e Simone Carvalho
Até 1º de julho, de segunda à sexta-feira, das 10h às 18h e aos sábados, das 10h às 16h
Local: RV Cultura e Arte
Endereço: Av. Cardeal da Silva, 158, Rio Vermelho. Salvador - Bahia. Telefone: (71) 3347-4929
Entrada gratuita.


Fortaleza (CE)

O cineasta americano Orson Welles (sentado) durante passagem pelo Ceará, em 1942. Fotografia: Chico Albuquerque

O cineasta americano Orson Welles (sentado) durante passagem pelo Ceará, em 1942. Fotografia: Chico Albuquerque

E tem mostra fotográfica também na capital cearense. São as últimas semanas da exposição 'O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 Anos', que comemora o centenário deste cearense que foi um dos responsáveis por projetar nacionalmente a costa marítima do estado. Em 1942, Chico Albuquerque acompanhou o cineasta americano Orson Welles ('Cidadão Kane') durante as gravações de um documentário sobre quatro jangadeiros. Infelizmente, o filme permaneceu inacabado, mas virou história. Em abril, foi destaque na edição deste ano do maior festival de artes do Ceará, a Maloca Dragão. Essa exposição, com mais de 400 imagens, abriu o festival e continua em cartaz desde então. Se você ainda não viu, corra pra ver!

Fotos do ensaio  'Mucuripe' , responsável por projetar nacionalmente a costa cearense

Fotos do ensaio 'Mucuripe', responsável por projetar nacionalmente a costa cearense

Chico Albuquerque

Exposição: O Fotógrafo Chico Albuquerque, 100 Anos
Artista: Chico Albuquerque
Até 2 de julho, de terça à sexta-feira, das 9h às 19h e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h
Local: Museu de Arte Contemporânea do Ceará - MAC-CE
Endereço: Rua Dragão do Mar, 81 - Praia de Iracema. Fortaleza - Ceará (Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura). Telefone: (85) 3488-8621
Entrada gratuita.


São Luís (MA)

Rob Silva trabalhou com pintura a óleo e pintura digital para compor as obras dessa exposição

Rob Silva trabalhou com pintura a óleo e pintura digital para compor as obras dessa exposição

Das 13 telas expostas na exposição 'Do Pincel ao Pixel', 5 são frutos de experimentos do artista paulista Rob Silva com pintura digital. Nas demais, a tinta a óleo predomina, provando que é absolutamente possível o diálogo entre a materialidade da tinta e as possibilidades artísticas do pixel. A necessidade de incluir o computador no processo criativo surgiu após a mudança do artista para São Luís-MA, onde passou a trabalhar em um apartamento menor do que seu ateliê em São Paulo. Com o computador, o artista não precisou mais condicionar sua criatividade à limitação espacial e dessa forma descobriu afinidades entre o digital e o analógico. É o resultado dessa pesquisa que o visitante vai encontrar na Sala Sesc de Exposições.

Tela de Rob Silva

Tela de Rob Silva

A mostra ocupa a Sala Sesc de Exposições

A mostra ocupa a Sala Sesc de Exposições

Exposição: Do Pincel ao Pixel
Artista: Rob Silva
Até 30 de junho, de segunda à sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 17h
Local: Sala Sesc de Exposições (Condomínio Fecomércio Sesc/Senac)
Endereço: Av. dos Holandeses, s/n, Quadra 04, Jardim Renascença II. São Luís - Maranhão. Telefone: (98) 3216-3830
E-mail: galeriadeartesescma@gmail.com
Entrada gratuita.


Maceió (AL)

Piso superior do III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas

Piso superior do III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas

Sessenta artistas participam até 10 de julho do III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas, que pela primeira vez também recebeu obras de artistas de outros estados. São dezenas de trabalhos, entre pinturas, gravuras, fotografias, desenhos e esculturas, ocupando os dois pavimentos do Complexo Cultural Teatro Deodoro. A exposição integra as atividades em comemoração aos 200 anos de emancipação política de Alagoas, que durante todo o ano estão movimentando a cena cultural do estado.

Obras da exposição. Em primeiro plano, a tela  'OSNIs' , de Suel Damasceno

Obras da exposição. Em primeiro plano, a tela 'OSNIs', de Suel Damasceno

'Samba' , óleo sobre tela de Cícera Dias

'Samba', óleo sobre tela de Cícera Dias

Destaque da obra  'A História do Filé'

Destaque da obra 'A História do Filé'

Exposição: III Salão de Arte Contemporânea de Alagoas
Artista: Coletiva
Até 10 de julho, de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h e nas quartas-feiras, das 8h às 20h
Local: Complexo Cultural Teatro Deodoro
Endereço: Rua Barão de Maceió, s/n - Centro. Maceió - Alagoas. Telefone: (82) 3315-5660
Entrada gratuita.


João Pessoa (PB)

O amor sob nova perspectiva é uma das propostas de Everton David

O amor sob nova perspectiva é uma das propostas de Everton David

No mês dos namorados, o artista visual Everton David apresenta seu olhar sobre a lógica das relações afetivas contemporâneas na exposição 'Pegou Amor'. São 45 trabalhos, produzidos nos últimos dois anos, entre desenhos, colagens, pinturas, fotografias e sobreposições. Ainda há espaço para o ultrarromantismo no século XXI? Vai lá na Galeria de Arte da Usina Cultural Energisa e confira. Ah, não esqueça de levar o seu amor!

A exposição de Everton David é tão minuciosa quanto as relações afetivas

A exposição de Everton David é tão minuciosa quanto as relações afetivas

Everton David

Exposição: Pegou Amor
Artista: Everton David
Até 8 de julho, de terça-feira a domingo, das 14h às 20h
Local: Usina Cultural Energisa
Endereço: Rua João Bernardo de Albuquerque, 243, Tambiá. João Pessoa – Paraíba. Telefone: (83) 3221-6343
Entrada gratuita.


Recife (PE)

Obra de Lula Cardoso Ayres exposta na retrospectiva do artista

Obra de Lula Cardoso Ayres exposta na retrospectiva do artista

Talvez essa seja uma das exposições mais importantes do ano no Nordeste. A Caixa Cultural do Recife inaugurou uma mostra retrospectiva da obra de Lula Cardoso Ayres, um grande nome do modernismo brasileiro e uma das figuras mais icônicas das artes visuais em Pernambuco. Ao todo são 208 obras que revelam a trajetória do artista por diferentes técnicas, como a pintura a óleo, acrílica sobre cartão, aquarela, têmpera, entre outras. Visitação fundamental, tá?

Obras do artista modernista exploram o colorido e a vibração dos folguedos populares de Pernambuco

Obras do artista modernista exploram o colorido e a vibração dos folguedos populares de Pernambuco

Telas de Lula Cardoso Ayres evidenciam seu traço modernista

Telas de Lula Cardoso Ayres evidenciam seu traço modernista

Lula Cardoso Ayres

Exposição: Lula Cardoso Ayres: Arte, Região e Tempo
Artista: Lula Cardoso Ayres
Até 27 de agosto, de terça-feira a sábado, das 10h às 20h e aos domingos, das 10h às 17h
Local: Caixa Cultural Recife
Endereço: Avenida Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife – Recife – Pernambuco. Telefone: (81) 3425-1915
Entrada gratuita


Teresina (PI)

Obra do artista paraense Éder Oliveira

Obra do artista paraense Éder Oliveira

Agora é a vez da capital piauiense receber a exposição 'Alistamento', que já foi destaque por aqui em abril, quando esteve em cartaz em São Luís-MA. O paraense Éder Oliveira apresenta ao público seu olhar artístico sobre o alistamento militar, em um processo de experimentação estética que aproximou fotografia, retrato, pintura e intervenção. A exposição abre ainda a 10ª edição da Mostra Sesc Amazônia das Artes em Teresina-PI.

A exposição  'Alistamento'  já passou por outros estados, inclusive o Maranhão

A exposição 'Alistamento' já passou por outros estados, inclusive o Maranhão

Éder Oliveira

Exposição: Alistamento
Artista: Éder Oliveira
Até 30 de junho, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos sábados, das 9h às 13h Local: Casa da Cultura de Teresina
Endereço: Rua Rui Barbosa, 348, Centro, Teresina – Piauí. Telefone: (86) 3230-9910
Entrada gratuita.


Natal (RN)

'Maria',  de Larissa Freire

'Maria', de Larissa Freire

Quatro mulheres unidas pela arte notaram algo em comum quando decidiram formar o Coletivo Entre Elas: a condição da mulher na sociedade era uma constante nas obras produzidas. Então, elas resolveram abraçar de vez o tema e agora o coletivo expõe pela primeira vez o resultado desse trabalho, desenvolvido com técnicas variadas, como pastel, nanquim, aquarela e gel. Mas não se engane! Embora haja afinidades entre as artistas, cada uma traz seu próprio traço e sua própria perspectiva a respeito do universo feminino.

A exposição está em cartaz na Galeria de Arte  do IFRN Cidade Alta

A exposição está em cartaz na Galeria de Arte  do IFRN Cidade Alta

Mulheres admirando mulheres

Mulheres admirando mulheres

Galeria de Arte IFRN Cidade Alta

Exposição: Mulher, Mulheres, Simplesmente Mulher
Artista: Coletivo Entre Elas
Até 28 de junho, de segunda à sexta-feira, das 8h às 21h
Local: Galeria de Arte IFRN Cidade Alta
Endereço: Av. Rio Branco, 743, Cidade Alta. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 4005-0970
Entrada gratuita.


Aracaju (SE)

O Salão dos Novos há 26 anos é uma ótima oportunidade para novos talentos

O Salão dos Novos há 26 anos é uma ótima oportunidade para novos talentos

E pra terminar nosso giro cultural de junho, tem uma das mais importantes mostras artísticas de Sergipe! A 26ª edição do Salão dos Novos selecionou 50 obras de artistas que ainda não tiveram a oportunidade de realizar exposições individuais. É uma ótima oportunidade para revelar novos talentos! A escolha foi feita por um júri técnico, que analisou cerca de 80 obras inscritas por meio de edital. Das 50 selecionadas, as quatro 4 melhores foram premiadas em dinheiro. Entre os trabalhos estão pinturas a óleo, aquarela, desenhos e esculturas.

Trabalhos expostos na 26ª edição do Salão dos Novos

Trabalhos expostos na 26ª edição do Salão dos Novos

III Salão dos Novos

Exposições: 26ª Salão dos Novos
Artistas: Coletiva
Até 30 de junho, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h e aos sábados, das 9h às 13h
Local: Galeria de Arte Álvaro Santos
Endereço: Praça Olímpio Campos, s/n - Centro. Aracaju - Sergipe. Telefone: (79) 3179-1308
Entrada gratuita.

Já tá rolando a 15ª Semana Nacional de Museus! Quantos você já visitou essa semana?

Se hoje em dia tem dia pra tudo, é claro que também tem dia pra celebrar os museus! Nesta quinta-feira (18), o mundo todo comemora o Dia Internacional de Museus, com exposições e diversas atividades, entre palestras, mesas-redondas, apresentações culturais e visitas guiadas.

Museu Nacional da República, em Brasília-DF

Museu Nacional da República, em Brasília-DF

Mas aqui no Brasil as comemorações duram uma semana inteira e, desde a segunda-feira (15), a 15ª Semana Nacional de Museus está movimentando cerca de 450 cidades espalhadas pelo país, com o tema ‘Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus’.

Cartaz de divulgação da 15ª Semana Nacional de Museus

Cartaz de divulgação da 15ª Semana Nacional de Museus

O tema é fundamental nesse momento de transformações do próprio museu como instituição responsável pelo armazenamento, preservação e apresentação da nossa cultura e história. Afinal, qual é o papel do museu no século XXI? E em tempos de polarização ideológica, é urgente abordar esse tema, pois como fazer caber no museu as diferentes versões ou visões de um mesmo fato? Narrar as controversas histórias dos ‘vencedores’ e também dos ‘vencidos’?

Além de promover discussões como essa, a 15ª Semana Nacional de Museus também tem o papel de evidenciar a relevância dessas instituições na preservação de nosso patrimônio cultural nacional, além de mostrar a importância de se frequentar museus com regularidade e de participar de suas atividades frequentes, que vão além das exposições.


Museu da Imagem e do Som - Misa, em Maceió-AL

Museu da Imagem e do Som - Misa, em Maceió-AL

Por dentro do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães - Mamam, em Recife-PE

Por dentro do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães - Mamam, em Recife-PE

Mais de mil museus participam dessa temporada cultural – que é promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), oferecendo uma programação com cerca de 3 mil atividades especiais. Ou seja, se você procurar direitinho nesse link aqui, com certeza vai achar o que fazer num museu próximo a você.

A exposição  'Abraços aos que me guardam' , de Christus Nóbrega, está na programação da semana, no Museu Nacional da República, em Brasília-DF

A exposição 'Abraços aos que me guardam', de Christus Nóbrega, está na programação da semana, no Museu Nacional da República, em Brasília-DF

Eu mesmo vou fazer logo um tour completo, começando hoje aqui em Maceió-AL, partindo amanhã para alguns museus do Recife-PE e fechando a semana em Brasília-DF, porque tô merecendo um rolezinho nos museus federais. Ah, a 15ª Semana Nacional de Museus vai até domingo (21), tá? Não deixe de participar!

No Misa-AL, participa a exposição  'Arretada Labuta' , de Pablo de Lucca

No Misa-AL, participa a exposição 'Arretada Labuta', de Pablo de Lucca

Já no Mamam-PE, está em cartaz a exposição coletiva  'Sugar and Speed'

Já no Mamam-PE, está em cartaz a exposição coletiva 'Sugar and Speed'

Se organizar direitinho, dá pra gente ir nas aberturas de duas exposições de arte amanhã (10) em Natal-RN. Bora?

Natal tá pipocando em exposições de arte esse mês. Isso sem falar na Semana de Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que começou ontem (8) e segue até sexta-feira (12). Pra engrossar ainda mais esse caldo cultural, nesta quarta-feira (10) a capital potiguar recebe mais duas exposições e se a gente planejar tudo direitinho, dá pra conferir as duas aberturas, já que elas estarão próximas uma da outra.

Casa em ruínas na fazenda Bom Jesus, em Goianinha (RN)

Casa em ruínas na fazenda Bom Jesus, em Goianinha (RN)

A primeira será na Pinacoteca Potiguar, às 18h, com o lançamento da instalação multimídia ‘Tristes Trópicos – Bom Jardim’, assinada pela artista visual paulista Regina Johas. A artista, que também é pesquisadora, desde os anos 1990 desenvolve seu trabalho aliando o campo da arte com questões sociais e culturais.

Ruínas localizadas na Via Costeira, em Natal (RN)

Ruínas localizadas na Via Costeira, em Natal (RN)

regina johas

A exposição nasceu a partir do projeto de extensão ‘Memórias de Bom Jardim’, em parceria com o grupo de estudos em arte contemporânea Zeitgeist, ambos da UFRN. A ideia é aproximar ruínas contemporâneas às ruínas do passado, para tentar entender o elo de ligação entre elas e os grupos sociais que habitam os espaços rural e urbano do Rio Grande do Norte.

Imagens da vídeo-instalação

Imagens da vídeo-instalação

regina johas

Na mostra, uma vídeo-projeção tomará conta de toda a sala Dorian Gray e haverá ainda a instalação sonora ‘Quanto coco se dança’, em homenagem ao cantador potiguar Chico Antônio.


E é só andar duas quadras adiante e já estaremos no lançamento da exposição ‘Olhar mais atento’, marcado às 19h30, na Galeria Sesc Cidade Alta. Esta será a segunda mostra da pauta de exposições 2017 da Galeria e é assinada pelo grupo Urban Sketchers Natal.

Ilustração do grupo  Urban Sketchers  Natal

Ilustração do grupo Urban Sketchers Natal

O urban sketching ou croqui urbano é uma prática artística recorrente entre artistas que sentem necessidade de registrar o local onde vivem ou suas experiências de viagem.

Em Natal-RN, o grupo tem representantes desde 2012 e reúne-se uma vez por mês para desenhar um local pré-estabelecido na capital e também no interior. O importante é que os trabalhos sejam realizados, pelo menos parcialmente, nos próprios locais que são representados.

Por dentro do Forte dos Reis Magos

Por dentro do Forte dos Reis Magos

Nesta exposição, serão apresentados 40 trabalhos, entre desenhos e aquarelas, dos arquitetos André Alves, Jota Clewton, Petterson Dantas e Rafael Oliveira, além de vídeos e sketchbooks dos artistas. As obras retratam principalmente paisagens urbanas e naturais do Rio Grande do Norte.

Desenhos de artistas diferentes para a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, em Natal (RN)

Desenhos de artistas diferentes para a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, em Natal (RN)

urban sketchers natal

Agora é só agendar, compartilhar esse texto nos grupos de WhatsApp e chamar a galera pra ir com você. Bora!?

SERVIÇO:

Abertura da exposição: 'Tristes Trópicos - Bom Jardim'
Artista: Regina Johas
10 de maio (quarta-feira), às 18h.
Local: Pinacoteca Potiguar
Endereço: Avenida 7 de setembro, s/n, Cidade Alta. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 3232-9727
Entrada gratuita.

Visitação: até 20 de maio, de terça-feira a domingo, das 9h às 17h
 

Exposição: 'Olhar mais atento'
Artista: Urban Sketchers Natal
10 de maio (quarta-feira), às 19h30.
Local: Galeria de Arte do SESC Cidade Alta
Endereço: Rua Coronel Cascudo, 33, Cidade Alta. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 3133-0360
Entrada gratuita.

Visitação: até 7 de junho, das 9h às 19h, exceto finais de semana e feriados

Vitória-ES e São Luís-MA recebem o maior festival de Arte e Tecnologia do Brasil

A essa altura você já deve saber que a arte pode ser muita coisa, inclusive high-tech, né? Então preparem-se para o maior festival de Arte e Tecnologia do Brasil! A partir desta terça-feira (18), Vitória-ES recebe o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, que desde o dia 5 de abril também está em cartaz em São Luís-MA. Queremos ir? Queremos.

Cartaz do FILE Vitória 2017: Toque Aqui

Cartaz do FILE Vitória 2017: Toque Aqui

Cartaz do FILE São Luís 2017: Não deixe essa onda passar

Cartaz do FILE São Luís 2017: Não deixe essa onda passar

Há 18 anos o FILE promove exposições, oficinas e encontros sobre Arte e Tecnologia, sempre com eventos anuais em São Paulo e exposições que já passaram por Curitiba-PR, Rio de Janeiro-RJ, Porto Alegre-RS, Belo Horizonte-MG e participações em eventos internacionais. Essa é a primeira vez que a exposição é realizada também no Nordeste, abrindo caminho para uma circulação maior do festival.

O Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), em São Luís. O prédio histórico foi reformado e abriga a exposição FILE 2017 na capital maranhense

O Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), em São Luís. O prédio histórico foi reformado e abriga a exposição FILE 2017 na capital maranhense

E o que é Arte e Tecnologia?

Desde que os computadores passaram a fazer parte das nossas vidas, muita coisa mudou, inclusive a arte. Pelo menos desde o final dos anos 1980, a aproximação entre arte, ciência e tecnologia tem se acentuado, gerando múltiplas possibilidades artísticas.

Inúmeros artistas do circuito nacional e internacional passaram a explorar as poéticas das tecnologias digitais, criando obras que utilizam essas tecnologias como ferramentas de produção, armazenamento, apresentação e difusão. Realidade virtual, hacktivismo, interatividade, impressão 3D, robótica, conectividade e realidade aumentada são outros campos de atuação que você jurava que só estava no dia a dia do pessoal de TI, mas que a arte contemporânea também está bastante interessada.

FILE Vitória 2017: Toque aqui

A obra  'The Night Café' , de Mac Cauley, recria digitalmente uma pintura famosa de Van Gogh

A obra 'The Night Café', de Mac Cauley, recria digitalmente uma pintura famosa de Van Gogh

Já tem muita gente produzindo Arte e Tecnologia no mundo todo e festivais como o FILE são instrumentos importantíssimos para dar visibilidade a esse fenômeno e gerar novos públicos. Em 2017, o FILE Vitória 2017: Toque aqui traz uma seleção de 8 instalações interativas, 4 games e 20 animações, de artistas de 15 países, entre eles Alemanha, Austrália, Eslováquia, México e Sérvia.

Entre as obras de realidade virtual com uso de óculos 3D, em ‘The Night Café’, de Mac Cauley (Estados Unidos), é possível explorar o mundo das pinturas de Van Gogh e até mesmo encontrar com o próprio pintor em uma versão animada. Dá uma olhada nessa vídeo:

Já na seleção de instalações, ‘Fated Ascent’, de Donald Abad (França), utiliza a tecnologia da realidade aumentada para criar um espaço em que os visitantes possam perceber a presença de outro visitante, virtualmente ligado a um amontoado de pedras. Para isso, basta ver esse amontoado através de um tablet ou de um smartphone. 

Em  'Fated Ascent' , de Donald Abad, a realidade aumentada amplia as possibilidades de uma instalação

Em 'Fated Ascent', de Donald Abad, a realidade aumentada amplia as possibilidades de uma instalação

fated ascent

Vê só que maravilhoso que é;

E se eu começar a falar aqui tudo que vai rolar por lá o dia termina e ninguém sai do canto. Portanto, se você está de passagem por Vitória-ES e São Luís-MA, vá hoje mesmo visitar as exposições. Como diz o cartaz do FILE São Luís 2017: não deixe essa onda passar!


SERVIÇO:

Exposição: FILE Vitória 2017: Toque aqui
Artista: Coletiva
Até 11 de junho, de terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Local: Sesi Arte Galeria
Endereço: Av. Nossa Senhora da Penha, 2053 - Santa Lúcia. Vitória - Espírito Santo (Edifício Findes). Telefone: (27) 3334-5703
Entrada gratuita.
 

Exposição: FILE São Luís 2017: Não deixe essa onda passar
Artista: Coletiva
Até 4 de junho, de terça-feira a domingo, das 10h às 19h
Local: Centro Cultural Vale Maranhão
Endereço: Av. Henrique Leal, 149 - Centro. São Luís - Maranhão.
Entrada gratuita.
 

ENTREVISTA | Um papo com a artista mineira Eugênia França, que chega hoje (4) em Maceió-AL para abrir a nova exposição da Pinacoteca da Ufal

Explorar e ressignificar objetos descartados, utilizando principalmente a pintura como linguagem. É isso que move a artista visual Eugênia França em sua investigação constante acerca das relações humanas na sociedade de consumo.

Natural de Patos de Minas-MG, a artista vem à Maceió-AL pela primeira vez para inaugurar sua primeira exposição individual: ‘Do Lado de Cá, Do Lado de Lá’, com trabalhos que procuram captar, por exemplo, a relação simbólica estabelecida entre meninas da periferia e suas bonecas.

A artista visual Eugênia França vem à Maceió pela primeira vez

A artista visual Eugênia França vem à Maceió pela primeira vez

A abertura da exposição será nesta terça-feira (4), logo mais às 20h, na Pinacoteca Universitária da Ufal e o Pigmum bateu um papo com a artista para saber mais sobre seu processo criativo e sua crítica ao descontrole consumista, que consome não apenas objetos, mas também os sujeitos.

Pigmum: Comente um pouco sobre o formato dessa exposição. Quais foram as suas motivações?

Acrílica sobre tela (2014), da série  '1, 2, 3 Salve Eu!'

Acrílica sobre tela (2014), da série '1, 2, 3 Salve Eu!'

Eugênia: O que busco levantar nesta exposição é a forma como estabelecemos nossas relações na sociedade capitalista, em que parece haver uma inversão dos papéis e do lugar ocupado pelos seres humanos e pelos objetos, onde tudo parece ser uma coisa só: objeto-gente, gente-objeto. São 27 pinturas que eu dividi em três séries: a primeira se chama ‘1, 2, 3 Salve Eu!’  e nela eu uso como referência bonecas de plástico que foram descartadas. A segunda série se chama ‘Ausência Incrustada’ e minhas referências são manequins de fibra de vidro descartados por uma loja de restauro. E tem também ‘Do lado de cá, do lado de lá’, que dá nome à exposição e tem como referência crianças, geralmente de periferia, com suas bonecas velhas.

Pigmum: Essa é sua primeira exposição individual, mas há quanto tempo você trabalha com artes visuais e o que te impulsionou a expor agora?

Eugênia: Meus primeiros trabalhos foram feitos em 2010 e desde então eu comecei a participar de várias exposições coletivas em Belo Horizonte. Em 2015 e 2016, eu fiquei muito envolvida com a produção de um trabalho de cerâmica e a publicação de um livro sobre minha produção plástica no campo da cerâmica e também sobre minhas reflexões acerca das relações na sociedade contemporânea. O título do livro é ‘Nós Outros e Eu Mesma: transformar o barro em cerâmica expressiva para refletir sobre as relações humanas na sociedade contemporânea’, publicado no ano passado. Só agora eu tive tempo de organizar a minha produção e selecionar os trabalhos para uma exposição individual.

Pigmum: Nessa exposição você escolheu lonas de caminhão como suporte. Como se deu essa escolha? Simbolicamente, o que essas lonas representam no seu trabalho?

Eugênia: Eu tenho preferência por materiais que foram descartados, pois eu faço uma tentativa de ressignificá-los. As lonas foram encontradas em um bota-fora por um amigo, que sabe do meu interesse por reutilização de materiais. Imediatamente eu experimentei, pois eu gosto dessa liberdade que o material alternativo me dá. O resultado estético foi ótimo e eu passei a utilizar a lona. E o que mais me interessa é que ela já sofreu intervenções de outras pessoas e essas intervenções estão registradas nela. Rasgos, remendos, marcas, sujeira... As lonas são impregnadas de histórias. Histórias inimagináveis, mas que passam a compor o trabalho. Da mesma forma que são inimagináveis as histórias que vivenciam essas crianças que eu retrato.

Meninas e suas bonecas. Na exposição, o campo de interesse de Eugênia investiga como se dá essa relação simbólica

Meninas e suas bonecas. Na exposição, o campo de interesse de Eugênia investiga como se dá essa relação simbólica

Acrílica sobre lona de caminhão. Obras sem título, de 2016

Acrílica sobre lona de caminhão. Obras sem título, de 2016

Pigmum: Quem são essas crianças retratadas e como você chegou até elas?

Eugênia: São em sua maioria crianças que vejo no meu dia a dia enquanto transito pela cidade. Eu me aproximo do responsável, falo do meu trabalho, tento estabelecer um diálogo que me permita compreender como a relação entre a criança e a boneca é estabelecida e qual a compreensão que o responsável tem da relação e do papel da boneca no universo feminino, sobretudo o infantil, que está em um momento de formação de sua identidade. Então peço permissão para fazer a foto. São também filhas de conhecidos, de colegas ou amigos.

Pigmum: No texto informativo da exposição, enviado à imprensa, você fala que ‘somos repetidores de um sistema’ e que ‘geralmente não questionamos, o que acaba refletindo nas escolhas, nos papéis desempenhados e no lugar que ocupamos no mundo’. Em sua perspectiva, como não ser repetidores de um sistema?

Eugênia: Penso que quando questionamos mais, quando buscamos compreender um pouco mais o mundo em que vivemos e nos entregamos mais ao processo do que ao resultado daquilo que fazemos, outros caminhos poderão ser construídos. Perdemos a compreensão dos vários processos de construção das coisas e escolhemos o caminho mais curto: tudo é produzido industrialmente e adquirimos produtos iguais feitos para pessoas iguais. Acho que precisamos nos permitir passar pelo processo das coisas para compreender melhor o mundo em que vivemos.

Corpos descartáveis. Manequins de fibra de vidro também são reutilizados e ressignificados pela artista

Corpos descartáveis. Manequins de fibra de vidro também são reutilizados e ressignificados pela artista

Pigmum: Você é uma artista de Minas Gerais, vai expor agora pela primeira vez em Alagoas e depois a mostra segue para outros estados. Comente um pouco sobre a qualidade itinerante dessa mostra.

Eugênia: Eu mandei meu projeto de exposição para vários locais, através de editais, e tive a felicidade dele ser aprovado em seis editais. Dois no Nordeste e quatro no Sul. Essa é a primeira vez que venho a Maceió.

Pigmum: Então com certeza podemos contar com sua presença no lançamento?

Eugênia: Sim, estarei presente na abertura e também no dia seguinte [5], para uma conversa de artista com o público, também na Pinacoteca, às 17h.

Pigmum: Obrigado, Eugênia e espero que sua passagem aqui pelo Nordeste seja gratificante. Nos vemos logo mais então!

Eugênia: Eu que agradeço, um abraço!


SERVIÇO:

Abertura da exposição ‘Do Lado de Cá, Do Lado de Lá’
4 de abril (terça-feira), às 20h.
Local: Pinacoteca Universitária da Ufal
Endereço: Praça Visconde de Sinimbu, 206, 1º piso - Centro. Maceió - Alagoas (Espaço Cultural Salomão de Barros Lima). Telefone: (82) 3214-1545 | 3214-1428
E-mail: pinaufal@gmail.com
 

Visitação: de 5 de abril até 19 de maio, de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 18h
Entrada franca.

Acesse o site da artista Eugênia França
 

Giro cultural: 8 exposições em cartaz no Nordeste para visitar em abril

Abril chegou e você não pode começar o mês sem saber que as exposições de arte estão bombando no Nordeste! Recentemente, várias mostras foram inauguradas em praticamente todas as capitais da região, só Teresina-PI ficou de fora esse mês. É claro que o Pigmum selecionou aquelas que são realmente imperdíveis! Então já sabe, se você mora em uma dessas cidades ou estará de passagem ao longo do mês, não deixe de fazer uma visita. E tem mais: todas são gratuitas!  Você não tem nem desculpa pra deixar de ir. Vê só:

Aracaju (SE)

Um dos cães solitários feitos de concreto por Elias Santos

Um dos cães solitários feitos de concreto por Elias Santos

A Galeria de Arte J. Inácio inaugurou sua pauta de exposições de 2017 com a mostra ‘Cinzentos’, assinada pelo sergipano Elias Santos. São 12 esculturas que abordam o tema da solidão a partir da perspectiva dos cães. Feitos de concreto, os cães cinzentos do artista, observados por ele em cidades do interior sergipano, surgem como protagonistas para representar simbolicamente esse estado de espírito tão particular. Essa é a primeira das seis exposições que ocuparão a galeria ao longo do ano.

'Cinzentos'  fica em cartaz até 10 de abril. Por isso não perca tempo!

'Cinzentos' fica em cartaz até 10 de abril. Por isso não perca tempo!

elias santos

SERVIÇO:

Exposição: Cinzentos
Artista: Elias Santos
Até 10 de abril, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h
Local: Galeria J. Inácio
Endereço: Rua Dr. Leonardo Leite, s/n, Bairro 13 de Julho (anexo à Biblioteca Pública Epifânio Dória). Aracaju – Sergipe. Telefone: (79) 3179-1969
 


Fortaleza (CE)

A obra de Leonilson é revisitada nessa exposição retrospectiva

A obra de Leonilson é revisitada nessa exposição retrospectiva

Mais de 120 obras assinadas pelo artista visual Leonilson estão expostas no Espaço Cultural da Unifor até o mês de julho. A mostra é uma retrospectiva da carreira desse artista cearense que mudou para São Paulo na infância e teve a vida interrompida ainda muito jovem, em 1993, vítima do vírus HIV. Emoções, dilemas do homem comum e percepções a respeito da condição humana estão presentes nas obras de arte contemporânea de Leonilson. Algumas peças, inclusive, são inéditas.

A exposição fica em cartaz até julho

A exposição fica em cartaz até julho

O artista seguiu o caminho da arte contemporânea em sua breve, mas profícua trajetória

O artista seguiu o caminho da arte contemporânea em sua breve, mas profícua trajetória

leonilson

SERVIÇO:

Exposição: Leonilson: arquivo e memória vivos
Artista: Leonilson
Até 9 de julho, de terça a sexta-feira, de 9h às 19h e aos sábados e domingos, de 10h às 18h.
Local: Espaço Cultural Unifor
Endereço: Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz. Fortaleza – Ceará. Telefone: (85) 3477-3319
Entrada gratuita.
 


João Pessoa (PB)

As esguias esculturas de Antônio Lobo expostas na Estação Cabo Branco

As esguias esculturas de Antônio Lobo expostas na Estação Cabo Branco

Uma das exposições em cartaz no prédio principal da Estação Cabo Branco chama a atenção pela quantidade de obras expostas pelo artista Antônio Labas. São 90 esculturas que retratam o ser humano em suas variadas faces, revelando dores, anseios, angústias, entre outras emoções que fazem parte do nosso repertório de subjetividades. As peças estão divididas em três séries: Equilíbrio, que são esculturas produzidas em alumínio policromado, emoldurados por aço; Primitivo, em aço inox e alumínio policromado; e Todas as Mulheres do Mundo, que são esculturas em madeira e aço. Imperdível.

A exposição  'Faces'  está dividida em 3 séries. Ao todo são 90 esculturas

A exposição 'Faces' está dividida em 3 séries. Ao todo são 90 esculturas

antonio labas

SERVIÇO:

Exposição: Faces
Artista: Antônio Labas
Até 21 de maio, de terça a sexta-feira, das 9h às 18h e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h.
Local: Estação Cabo Branco
Endereço: Rua João Cyrillo, s/n, Altiplano. João Pessoa – Paraíba. Telefone: (83) 3214-8303 | 3214.8270
Entrada gratuita.
 


Maceió (AL)

A Galeria Gamma no dia da abertura da exposição  'Menu Degustação'

A Galeria Gamma no dia da abertura da exposição 'Menu Degustação'

Na Galeria Gamma, a arte de dez artistas está ali para ser degustada. Provocar sensações tão físicas quanto a do paladar é a proposta da exposição coletiva ‘Menu Degustação’, uma parceria com a Luís Maluf Art Gallery, de São Paulo. Todos os artistas da mostra fazem parte do portfólio da galeria paulistana e expõem em Maceió, até 16 de abril, telas e esculturas de arte contemporânea, com uma pegada super urbana.

Obra  'Caligrapixo' , exposta na mostra  'Menu Degustação'

Obra 'Caligrapixo', exposta na mostra 'Menu Degustação'

'O fim pode ser colorido' , obra de Flávio Rossi

'O fim pode ser colorido', obra de Flávio Rossi

'Vermelho Steam'  é outra das obras expostas nessa mostra coletiva

'Vermelho Steam' é outra das obras expostas nessa mostra coletiva

SERVIÇO:

Exposição: Menu Degustação
Artista: Coletiva
Até 16 de abril, de segunda a sexta-feira, das 14 às 19h e aos sábados, das 9h às 13h
Local: Galeria Gamma
Endereço: Av. Luiz Ramalho de Castro, 899, Jatiúca. Maceió – Alagoas. Telefone: (82) 3377-3979
Entrada gratuita.
 


Natal (RN)

A exposição  'Pelo Pescoço'  quer chamar atenção sobre o problema da violência contra a mulher

A exposição 'Pelo Pescoço' quer chamar atenção sobre o problema da violência contra a mulher

O trágico caso de duas mulheres que foram mortas no Rio Grande do Norte, ambas pelo pescoço, inspirou o artista visual Daniel Torres a criar uma série de 17 desenhos, com girafas meio mulheres e meio animais – evidenciando a maneira brutal pela qual as duas mulheres foram mortas e também a fragilidade dessa parte do corpo nos seres vertebrados. A mostra foi inaugurada em uma data bastante representativa: dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Essa é a primeira exposição da pauta de 2017 da Galeria de Arte do SESC-RN.

As girafas e seus longos pescoços serviram de inspiração para Daniel Torres

As girafas e seus longos pescoços serviram de inspiração para Daniel Torres

A ideia da série surgiu após a notícia de duas mulheres que foram brutalmente assassinadas, ambas pelo pescoço

A ideia da série surgiu após a notícia de duas mulheres que foram brutalmente assassinadas, ambas pelo pescoço

SERVIÇO:

Exposição: Pelo Pescoço
Artista: Daniel Torres
Até 19 de abril, das 9h às 19h, exceto finais de semana e feriados
Local: Galeria de Arte do SESC Cidade Alta
Endereço: Rua Coronel Cascudo, 33, Cidade Alta. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 3133-0360
Entrada gratuita.
 


Recife (PE)

Tiago Amorim abre sua primeira exposição individual em 12 anos! Fotografia: Lucas Oliveira

Tiago Amorim abre sua primeira exposição individual em 12 anos! Fotografia: Lucas Oliveira

Tiago Amorim, que já tem uma longa trajetória no desenho, na pintura e na escultura, ficou 12 anos sem realizar nenhuma exposição individual, mas agora está de volta com a sua versão da origem do mundo e as previsões para o seu fim, numa mostra que transita entre o metafísico, o político-social e o ecológico. São telas e esculturas de cerâmica que abordam a conflituosa e degradante relação do ser humano contemporâneo com a natureza.

A relação degradante do homem com a natureza é abordada pelo artista nessa mostra. Fotografia: Lucas Oliveira

A relação degradante do homem com a natureza é abordada pelo artista nessa mostra. Fotografia: Lucas Oliveira

Além de telas, a exposição também conta com peças de cerâmica

Além de telas, a exposição também conta com peças de cerâmica

O artista e à obra que dá nome à exposição:  'Da gênese ao apocalipse'. Fotografia: Leo Motta

O artista e à obra que dá nome à exposição: 'Da gênese ao apocalipse'. Fotografia: Leo Motta

tiago amorim

SERVIÇO:

Exposição: Da gênese ao apocalipse
Artista: Tiago Amorim
Até 27 de maio, de terça a sexta-feira, das 13h às 19h e aos sábados, das 16h às 20h
Local: Arte Plural Galeria
Endereço: Rua da Moeda, 140, Recife Antigo. Recife – Pernambuco. Telefone: (81) 3424-4431
Entrada gratuita.
 


Salvador (BA)

Exposição inédita de Tomie Ohtake fica em cartaz em Salvador até 24 de abril

Exposição inédita de Tomie Ohtake fica em cartaz em Salvador até 24 de abril

Tomie Ohtake é reconhecida como uma das principais artistas brasileiras do século XX. Começou sua carreira aos 40 anos, mas incrivelmente conseguiu produzir ainda por mais 60 anos! Sua obra, que está espalhada em diversas cidades do mundo, abrange gravuras, pinturas, esculturas. Dedicou-se ao abstracionismo e à expressividade plástica das cores, formas e curvas. É isso que o público irá encontrar nessa extensa mostra retrospectiva que fica em cartaz em Salvador-BA até o próximo dia 24.

Tomie Ohtake começou a carreira aos 40 anos e produziu ainda por mais 60 anos!

Tomie Ohtake começou a carreira aos 40 anos e produziu ainda por mais 60 anos!

A obra da artista sempre seguiu o caminho do abstracionismo

A obra da artista sempre seguiu o caminho do abstracionismo

Ela é reverenciada como uma das principais artistas brasileiras do século XX

Ela é reverenciada como uma das principais artistas brasileiras do século XX

SERVIÇO:

Exposição: Tomie Ohtake - Cor e Corpo
Artista: Tomie Ohtake
Até 24 de abril, de terça-feira a domingo, das 9h às 18h
Local: Caixa Cultural Salvador
Endereço: Rua Carlos Gomes, 57, Centro. Salvador – Bahia. Telefone: (71) 3421-4200
Entrada: Entrada franca
 


São Luís (MA)

Éder Oliveira aposta um olhar diferente a respeito do alistamento militar

Éder Oliveira aposta um olhar diferente a respeito do alistamento militar

Um olhar artístico sobre o alistamento militar, que para muitos jovens representa uma alternativa para mudar de vida, principalmente para aqueles vindos de cidades pequenas. O paraense Éder Oliveira lança um olhar sobre esses jovens, em um processo de experimentação estética que aproximou fotografia, retrato, pintura e intervenção e que fica em cartaz na Galeria de Arte do SESC-MA até 3 de maio.

A questão da vulnerabilidade social desses jovens candidatos ao serviço militar é crucial na obra do artista

A questão da vulnerabilidade social desses jovens candidatos ao serviço militar é crucial na obra do artista

A mostra mescla diversas técnicas, como a fotografia e a pintura

A mostra mescla diversas técnicas, como a fotografia e a pintura

eder oliveira

SERVIÇO:

Exposição: Alistamento
Artista: Éder Oliveira
Até 3 de maio, das 9h às 17h
Local: Galeria de Arte do SESC Deodoro
Endereço: Av. Silva Maia, 164, Centro. São Luís - Maranhão. Telefone: (98) 3216-3812 | 3216-3844
Entrada gratuita.
 

ENTREVISTA | Com peças que mesclam ilustração e origami, o artista potiguar André Souza comenta sua primeira exposição individual

Em sua primeira exposição individual – sem título definido, André Souza não apenas desenhou sobre papel. Ele transformou o próprio papel em formas artísticas, criando origamis - a técnica oriental de dobradura de papéis. E é a sutileza desse material que dá a tônica suave da mostra.

O artista visual André Souza conversou um pouco com o  Pigmum  sobre sua primeira exposição

O artista visual André Souza conversou um pouco com o Pigmum sobre sua primeira exposição

Por muitos anos, André Souza expôs seu trabalho com arte digital apenas nas redes sociais, mas agora – aos 30 anos – sua arte finalmente saiu das telas eletrônicas e ganhou o espaço físico do Mahalila Café & Livros – em Natal-RN, evidenciando também o seu amadurecimento técnico e estético. O visitante tem até o dia 4 de abril para conferir a exposição, das 16h às 00h.

O Pigmum conversou um pouquinho com ele pra saber como é expor pela primeira vez. Confira:


Pigmum: Você já desenha há um bom tempo e inclusive sempre postou seus trabalhos nas redes sociais, mas só agora abriu sua primeira exposição individual. O que mudou e possibilitou você a começar a expor?

André: Sempre tive vontade de montar uma exposição, mas nunca tinha conseguido escolher uma técnica pra isso. Só depois de alguns trabalhos com origami foi que me veio a ideia de misturar técnicas de desenho com origami, algo que nunca vi ninguém fazer. Foi isso que me motivou a expor. Também o fato de ter mais tempo livre na minha rotina fez com que eu pudesse me dedicar mais a esse trabalho artístico, experimentando a melhor forma de unir o desenho ao origami.

Nesta exposição, o origami se integra à ilustração e o resultado é tão delicado quanto o próprio papel dobrado

Nesta exposição, o origami se integra à ilustração e o resultado é tão delicado quanto o próprio papel dobrado

origami 2

Pigmum: O que o visitante encontrará na exposição? Fale um pouco sobre o eixo temático da mostra.

André: O público encontrará sentimentos, desejos, conselhos... São 8 obras de técnica mista e os desenhos são em preto e branco. Decidi fazer assim para destacar as cores do papel de origami. Já tinha experimentado aquarela com origami antes, mas no final ficava parecendo uma coisa só. Bom, espero que o visitante se identifique com minhas obras que ilustram desilusões amorosas, vontade de mudar, de seguir um sonho, de encontrar coragem, que muitas vezes foram reprimidas pela sociedade. Enfim, o visitante também poderá tirar suas próprias interpretações, pois também há muito mistério nas obras.

A mostra fica em cartaz até 4 de abril no Mahalila Café & Livros, em Natal-RN

A mostra fica em cartaz até 4 de abril no Mahalila Café & Livros, em Natal-RN

Detalhe da exposição, que não tem título definido

Detalhe da exposição, que não tem título definido

Pigmum: Humm... Mistério? Já gostei! E o que mais te motiva na arte e quais são as outras técnicas que te interessam?

André: Amo desenhar figuras humanas e seres mitológicos como sereias e faunos. Atualmente estou interessado em botânica. Sobre as técnicas... Ah, eu gosto de todas! Hehehe... Só não experimentei ainda pinturas à óleo e nem pastel seco, mas quero experimentar em breve. Estou bastante interessado em técnicas à mão livre de modo geral, mas durante muitos anos e ainda hoje eu também trabalho com arte digital. E acaba sendo mais fácil, por possuir cores, efeitos, texturas e possibilidades infinitas apenas com poucos cliques em programas gráficos. Depende muito do trabalho e da proposta.

Pigmum: Quem são suas referências artísticas e o que te inspira?

André: Sou absolutamente inspirado pela cultura japonesa e sua tradição oriental. Amo trabalhar com formas geométricas e o Japão me levou ao origami e suas infinitas formas. Para mim, transformar um pedaço de papel em algo é um desafio e fico pensando como alguém pode descobrir um passo-a-passo para tal. Acho isso fantástico. Minha maior referência no origami é a matemática e mestra em origami Tomoko Fuse, que possui as formas mais incríveis e perfeitas que já vi. A simetria dos trabalhos dela é perfeita. Já na pintura, eu sou inspirado pelos grandes mestres, como o pintor Renascentista Michelangelo, pelo seu trabalho com a anatomia humana e como multiartista, já que ele era escultor, poeta, arquiteto... Tem também o impressionista Van Gogh, pelas cores, pelo movimento e pelo sentimento em suas obras. Um fato curioso é que Van Gogh também era muito interessado pela cultura japonesa e isso me fez admirá-lo ainda mais ♥. Além disso, sou muito inspirado pela música de modo geral. Sou capaz de colocar uma música no repeat infinito e fico escutando até terminar o desenho. Hehehe.

'A Criação de Adão'  (1511), parte do afresco pintado por Michelangelo na Capela Sistina, Vaticano. As obras de Michelangelo são inspiradoras para André

'A Criação de Adão' (1511), parte do afresco pintado por Michelangelo na Capela Sistina, Vaticano. As obras de Michelangelo são inspiradoras para André

Pigmum: Uau! Então daqui a pouco está na hora de planejar uma visitinha ao Japão, né? Quais são seus planos para o futuro? O que você espera daqui pra frente?

André: Ainda é muito difícil viver só de arte, mas é possível. Acho que só depende de nós mesmos. Por isso desejo conciliar meu trabalho de artista com outro de design gráfico. Pretendo também continuar produzindo exposições em várias galerias de arte aqui na cidade e quem sabe em outras... Já recebi convites para expor em alguns lugares e, mesmo estando satisfeito com isso, não quero ser um artista de uma técnica única, então possivelmente minha próxima exposição será totalmente ou parcialmente diferente desta primeira. Quero cursar Artes Visuais em breve para ter mais contato com profissionais que vivem de arte no meio acadêmico, adquirindo mais conhecimento e novas experiências, abrir um pouco a cabeça para novas ideias e quem sabe me tornar um professor de artes ou algo do tipo. Cresci ouvindo as pessoas falarem que eu era um artista, acho que agora estou começando a acreditar nelas.

André utilizou nanquim preto nas ilustrações dessa mostra para evidenciar as dobraduras e as cores dos papéis utilizados

André utilizou nanquim preto nas ilustrações dessa mostra para evidenciar as dobraduras e as cores dos papéis utilizados

Pigmum: Muito obrigado pela conversa, André. Não tenha dúvidas de que você sempre foi um artista. Parabéns pela exposição e sucesso!

André: Muito obrigado a você pela oportunidade em divulgar o meu trabalho. Beijão.


SERVIÇO:

Exposição sem título do artista visual André Souza
Visitação: até 4 de abril, de terça-feira à sábado, das 16h às 00h.
Local: Mahalila Café & Livros
Endereço: Rua Doutora Nívea Madruga, Lagoa Nova. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 2030-5702
Entrada franca
 

ENTREVISTA | Rafael Almeida fala sobre a nova exposição da Pinacoteca da Ufal, que será inaugurada hoje (24) sob sua curadoria

Se depender da Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o mês da mulher vai se estender até maio. Isso porque nesta sexta-feira (24), às 19h, a Pinacoteca inaugurará a pauta de exposições de 2017 com a mostra ‘Acervo Pina: Artistas Alagoanas – Ontem e Hoje’, em homenagem às artistas alagoanas que fazem parte do acervo da instituição.

A mostra inaugurada hoje (24) em homenagem às artistas alagoanas inicia a pauta de exposições de 2017 da Pinacoteca Universitária

A mostra inaugurada hoje (24) em homenagem às artistas alagoanas inicia a pauta de exposições de 2017 da Pinacoteca Universitária

São mais de 35 anos de uma história construída principalmente por mulheres, já que a maior parte das obras que compõem a coleção da Pinacoteca é da autoria de artistas alagoanas.

Para entender melhor o que vem por aí, o Pigmum conversou com Rafael Almeida, que assina a curadoria da mostra e foi o responsável pela escolha das 16 artistas selecionadas. Rafael é alagoano, estudante de Design da Ufal e tem apenas 24 anos, mas uma promissora bagagem profissional. Já desenvolveu projetos gráficos e de interiores para artistas como Celso Brandão, Cecília Walton e Karla Melanias. Foi bolsista da Pinacoteca Universitária da Ufal durante três anos, onde foi curador e produtor da exposição ‘Moira’, da artista Eva Le Campion. Atualmente faz parte da direção de arte da Galeria Gamma, em Maceió.

O jovem estudante de Design, Rafael Almeida, assina a curadoria da mostra. Seu segundo trabalho curatorial na Pinacoteca

O jovem estudante de Design, Rafael Almeida, assina a curadoria da mostra. Seu segundo trabalho curatorial na Pinacoteca

Pigmum: Como surgiu a ideia do tema para essa exposição e quais foram os critérios para a escolha das artistas que participam da mostra?

Rafael: A proposta da exposição é prestigiar as artistas alagoanas que contribuíram, cada uma de seu modo, para a constante evolução da arte contemporânea em Alagoas. O objetivo da mostra é apresentar trabalhos de 16 mulheres que já expuseram na Pinacoteca, cujas obras estavam fora do alcance do público, guardadas em nossa reserva técnica. A poética dessas obras afirma como o poder feminino revolucionou os conceitos artísticos de seu tempo, ultrapassando preconceitos, a desigualdade de gênero e a ausência de oportunidades.

Escultura de Bárbara Lessa

Escultura de Bárbara Lessa

Trabalho em escanografia de Karla Melanias, de 2015

Trabalho em escanografia de Karla Melanias, de 2015

Pigmum: Por que iniciar a pauta de exposições de 2017 com uma mostra retrospectiva?

Rafael: A ideia surgiu como parte das comemorações do mês da mulher, numa iniciativa da Coordenadoria de Assuntos Culturais [CAC] da Ufal e da Pinacoteca Universitária. A coleção Pina é composta em sua maioria por obras de artistas alagoanas. Achamos que seria legal iniciar a pauta da instituição com uma homenagem a elas, por seus trabalhos determinantes no cenário artístico local e nacional. A novidade deste ano é que no primeiro semestre os salões vão abrigar duas exposições simultâneas. A primeira será inaugurada no dia 24 de março e a outra no dia 4 de abril, com a artista Eugênia França. As duas exposições serão encerradas em 19 de maio.

A pintura de 1982 de Maria Teresa Vieira, é uma das peças mais antigas do acervo da Pinacoteca

A pintura de 1982 de Maria Teresa Vieira, é uma das peças mais antigas do acervo da Pinacoteca

Peça da série ' Entrópicos'  (2001), de Marta Araújo

Peça da série 'Entrópicos' (2001), de Marta Araújo

Pigmum: O que o visitante pode esperar da exposição e quais linguagens artísticas estarão representadas?

Rafael: O visitante vai encontrar obras de três gerações, um diálogo de poéticas. As obras expostas se entrelaçam. Há diversidade de linguagens, técnicas e suportes. Fotografia, escanografia, pintura, escultura são algumas delas.

Pigmum: Como você iniciou suas atividades em curadoria artística e qual é a importância dessa atividade?

Rafael: Essa é a segunda mostra que eu assino a curadoria. A primeira foi em 2015 com a exposição ‘Moira’, da artista alagoana Eva Le Campion. Inclusive cheguei a ganhar o prêmio Camões 2015 com o resultado desse trabalho.

Estou na Pinacoteca Universitária há 3 anos e por conhecer bem o acervo, recebi o convite da coordenadora da instituição, Christina Cavalcanti, e do diretor do Espaço Cultural, professor Ivanildo Picolli, para fazer a curadoria dessa exposição que estreia hoje [‘Acervo Pina: Artistas Alagoanas - Ontem e hoje’]. Para mim é uma honra poder participar desse projeto.

Um croqui de vestido junino assinado pela estilista Vera Arruda

Um croqui de vestido junino assinado pela estilista Vera Arruda

Aqui, Vera Gamma e um trabalho de 2002, da série  Mola

Aqui, Vera Gamma e um trabalho de 2002, da série Mola

O papel de um curador é muito importante para a exposição. Assim como o artista, o curador também precisa adentrar o mundo sensível para tentar passar aos contempladores um pouco do que as obras querem dizer. Ele faz a seleção dos conjuntos, além de pegar todo seu estudo e bagagem estética para poder ser eficaz na escolha. A responsabilidade é grande, espero que todos gostem.


SERVIÇO:

Abertura da exposição Acervo Pina: Artistas Alagoanas – Ontem e Hoje
24 de março (sexta-feira), às 19h.
Local: Pinacoteca Universitária da Ufal
Endereço: Praça Visconde de Sinimbu, 206, 1º piso - Centro. Maceió - Alagoas (Espaço Cultural Salomão de Barros Lima). Telefone: (82) 3214-1545 | 3214-1428
E-mail: pinaufal@gmail.com
 

Visitação: de 27 de março até 19 de maio, de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 18h
Entrada franca.

Acesse a página da Pinacoteca Universitária da Ufal no Facebook