Pigmum

arte e outros riscos

Natureza digital: primeiro exercício de pintura no Photoshop

Eu adoro pêssego! Suco de pêssego, bala de pêssego, geleia de pêssego. Adoro a textura, as cores, o cheiro! Eu gosto até do nome pêssego e de suas variantes em outras línguas: durazno (espanhol), peach (inglês)...

E como a gente deve sempre desenhar algo que a gente goste, eu escolhi o pêssego como tema do meu primeiro exercício de pintura digital. Olha o resultado final:

  Natureza morta nada! Olha essas cores, meus pêssegos estão vivos!

Natureza morta nada! Olha essas cores, meus pêssegos estão vivos!

Lembra que na semana passada rolou aqui em Natal uma oficina justamente de pintura digital com o Alzir Alves, que foi considerado um dos melhores coloristas do Brasil? Pois é, eu fiz a oficina e foi maravilhosa!

Alzir deu várias dicas e mostrou o passo a passo de seu processo criativo, desde a digitalização do desenho em traço feito à grafite, até a inclusão de efeitos de luz e sombra no Photoshop. Com a oficina ficou mais fácil entender como utilizar os diferentes pincéis (brushes) do software, além da organização do trabalho em camadas (layers). E finalmente eu comecei a trabalhar com a mesa digitalizadora que estava há mais de um ano encostada no armário.

Até me surpreendi com o resultado final do meu primeiro exercício, mas não foi tão fácil como parece. Tem gente que considera como trapassa o trabalho artístico feito em computação gráfica, como se o computador fizesse tudo sozinho. Mas quem tá por trás ralando, sabe o trabalho que dá! Não sujar as mãos de tinta não torna, necessariamente, uma arte digital inferior.

Mas pra chegar até aqui eu precisei passar por etapas bem definidas, como explicou Alzir. Primeiro a fase do traçado:

  É preciso digitalizar e tratar o traçado original

É preciso digitalizar e tratar o traçado original

  Essa foto que eu achei no Google serviu de referência

Essa foto que eu achei no Google serviu de referência

Em seguida, o preenchimento com as cores sólidas que servirão como base da pintura:

  É importante também definir uma paleta de cores com os tons mais usados ao longo do trabalho

É importante também definir uma paleta de cores com os tons mais usados ao longo do trabalho

Depois, um estudo breve sobre o comportamento das cores, da luz e da sombra, para orientar a pintura. Pra isso, usei uma camada (layer) que foi ignorada posteriormente. Ou seja, ela não fez parte da arte final:

  A foto original serviu de referência para definir a posição das cores, da luz e da sombra

A foto original serviu de referência para definir a posição das cores, da luz e da sombra

Aos poucos, as cores vão se integrando e a caneta digital vai se assemelhando a um pincel realmente. Depois de 4 horas de trabalho, parecia que eu estava misturando tinta já. Adorei aprender essa nova técnica. Acompanhe o processo:

  Fiz um GIF animado pra facilitar a demonstração do processo

Fiz um GIF animado pra facilitar a demonstração do processo

Inclusive já tô aceitando sugestões para pintar novas frutas. ;)