Pigmum

arte e outros riscos

ENTREVISTA | Rafael Almeida fala sobre a nova exposição da Pinacoteca da Ufal, que será inaugurada hoje (24) sob sua curadoria

Se depender da Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o mês da mulher vai se estender até maio. Isso porque nesta sexta-feira (24), às 19h, a Pinacoteca inaugurará a pauta de exposições de 2017 com a mostra ‘Acervo Pina: Artistas Alagoanas – Ontem e Hoje’, em homenagem às artistas alagoanas que fazem parte do acervo da instituição.

  A mostra inaugurada hoje (24) em homenagem às artistas alagoanas inicia a pauta de exposições de 2017 da Pinacoteca Universitária

A mostra inaugurada hoje (24) em homenagem às artistas alagoanas inicia a pauta de exposições de 2017 da Pinacoteca Universitária

São mais de 35 anos de uma história construída principalmente por mulheres, já que a maior parte das obras que compõem a coleção da Pinacoteca é da autoria de artistas alagoanas.

Para entender melhor o que vem por aí, o Pigmum conversou com Rafael Almeida, que assina a curadoria da mostra e foi o responsável pela escolha das 16 artistas selecionadas. Rafael é alagoano, estudante de Design da Ufal e tem apenas 24 anos, mas uma promissora bagagem profissional. Já desenvolveu projetos gráficos e de interiores para artistas como Celso Brandão, Cecília Walton e Karla Melanias. Foi bolsista da Pinacoteca Universitária da Ufal durante três anos, onde foi curador e produtor da exposição ‘Moira’, da artista Eva Le Campion. Atualmente faz parte da direção de arte da Galeria Gamma, em Maceió.

  O jovem estudante de Design, Rafael Almeida, assina a curadoria da mostra. Seu segundo trabalho curatorial na Pinacoteca

O jovem estudante de Design, Rafael Almeida, assina a curadoria da mostra. Seu segundo trabalho curatorial na Pinacoteca

Pigmum: Como surgiu a ideia do tema para essa exposição e quais foram os critérios para a escolha das artistas que participam da mostra?

Rafael: A proposta da exposição é prestigiar as artistas alagoanas que contribuíram, cada uma de seu modo, para a constante evolução da arte contemporânea em Alagoas. O objetivo da mostra é apresentar trabalhos de 16 mulheres que já expuseram na Pinacoteca, cujas obras estavam fora do alcance do público, guardadas em nossa reserva técnica. A poética dessas obras afirma como o poder feminino revolucionou os conceitos artísticos de seu tempo, ultrapassando preconceitos, a desigualdade de gênero e a ausência de oportunidades.

  Escultura de Bárbara Lessa

Escultura de Bárbara Lessa

  Trabalho em escanografia de Karla Melanias, de 2015

Trabalho em escanografia de Karla Melanias, de 2015

Pigmum: Por que iniciar a pauta de exposições de 2017 com uma mostra retrospectiva?

Rafael: A ideia surgiu como parte das comemorações do mês da mulher, numa iniciativa da Coordenadoria de Assuntos Culturais [CAC] da Ufal e da Pinacoteca Universitária. A coleção Pina é composta em sua maioria por obras de artistas alagoanas. Achamos que seria legal iniciar a pauta da instituição com uma homenagem a elas, por seus trabalhos determinantes no cenário artístico local e nacional. A novidade deste ano é que no primeiro semestre os salões vão abrigar duas exposições simultâneas. A primeira será inaugurada no dia 24 de março e a outra no dia 4 de abril, com a artista Eugênia França. As duas exposições serão encerradas em 19 de maio.

  A pintura de 1982 de Maria Teresa Vieira, é uma das peças mais antigas do acervo da Pinacoteca

A pintura de 1982 de Maria Teresa Vieira, é uma das peças mais antigas do acervo da Pinacoteca

  Peça da série ' Entrópicos'  (2001), de Marta Araújo

Peça da série 'Entrópicos' (2001), de Marta Araújo

Pigmum: O que o visitante pode esperar da exposição e quais linguagens artísticas estarão representadas?

Rafael: O visitante vai encontrar obras de três gerações, um diálogo de poéticas. As obras expostas se entrelaçam. Há diversidade de linguagens, técnicas e suportes. Fotografia, escanografia, pintura, escultura são algumas delas.

Pigmum: Como você iniciou suas atividades em curadoria artística e qual é a importância dessa atividade?

Rafael: Essa é a segunda mostra que eu assino a curadoria. A primeira foi em 2015 com a exposição ‘Moira’, da artista alagoana Eva Le Campion. Inclusive cheguei a ganhar o prêmio Camões 2015 com o resultado desse trabalho.

Estou na Pinacoteca Universitária há 3 anos e por conhecer bem o acervo, recebi o convite da coordenadora da instituição, Christina Cavalcanti, e do diretor do Espaço Cultural, professor Ivanildo Picolli, para fazer a curadoria dessa exposição que estreia hoje [‘Acervo Pina: Artistas Alagoanas - Ontem e hoje’]. Para mim é uma honra poder participar desse projeto.

  Um croqui de vestido junino assinado pela estilista Vera Arruda

Um croqui de vestido junino assinado pela estilista Vera Arruda

  Aqui, Vera Gamma e um trabalho de 2002, da série  Mola

Aqui, Vera Gamma e um trabalho de 2002, da série Mola

O papel de um curador é muito importante para a exposição. Assim como o artista, o curador também precisa adentrar o mundo sensível para tentar passar aos contempladores um pouco do que as obras querem dizer. Ele faz a seleção dos conjuntos, além de pegar todo seu estudo e bagagem estética para poder ser eficaz na escolha. A responsabilidade é grande, espero que todos gostem.


SERVIÇO:

Abertura da exposição Acervo Pina: Artistas Alagoanas – Ontem e Hoje
24 de março (sexta-feira), às 19h.
Local: Pinacoteca Universitária da Ufal
Endereço: Praça Visconde de Sinimbu, 206, 1º piso - Centro. Maceió - Alagoas (Espaço Cultural Salomão de Barros Lima). Telefone: (82) 3214-1545 | 3214-1428
E-mail: pinaufal@gmail.com
 

Visitação: de 27 de março até 19 de maio, de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 18h
Entrada franca.

Acesse a página da Pinacoteca Universitária da Ufal no Facebook