Pigmum

arte e outros riscos

ENTREVISTA | Com peças que mesclam ilustração e origami, o artista potiguar André Souza comenta sua primeira exposição individual

Em sua primeira exposição individual – sem título definido, André Souza não apenas desenhou sobre papel. Ele transformou o próprio papel em formas artísticas, criando origamis - a técnica oriental de dobradura de papéis. E é a sutileza desse material que dá a tônica suave da mostra.

  O artista visual André Souza conversou um pouco com o  Pigmum  sobre sua primeira exposição

O artista visual André Souza conversou um pouco com o Pigmum sobre sua primeira exposição

Por muitos anos, André Souza expôs seu trabalho com arte digital apenas nas redes sociais, mas agora – aos 30 anos – sua arte finalmente saiu das telas eletrônicas e ganhou o espaço físico do Mahalila Café & Livros – em Natal-RN, evidenciando também o seu amadurecimento técnico e estético. O visitante tem até o dia 4 de abril para conferir a exposição, das 16h às 00h.

O Pigmum conversou um pouquinho com ele pra saber como é expor pela primeira vez. Confira:


Pigmum: Você já desenha há um bom tempo e inclusive sempre postou seus trabalhos nas redes sociais, mas só agora abriu sua primeira exposição individual. O que mudou e possibilitou você a começar a expor?

André: Sempre tive vontade de montar uma exposição, mas nunca tinha conseguido escolher uma técnica pra isso. Só depois de alguns trabalhos com origami foi que me veio a ideia de misturar técnicas de desenho com origami, algo que nunca vi ninguém fazer. Foi isso que me motivou a expor. Também o fato de ter mais tempo livre na minha rotina fez com que eu pudesse me dedicar mais a esse trabalho artístico, experimentando a melhor forma de unir o desenho ao origami.

  Nesta exposição, o origami se integra à ilustração e o resultado é tão delicado quanto o próprio papel dobrado

Nesta exposição, o origami se integra à ilustração e o resultado é tão delicado quanto o próprio papel dobrado

origami 2

Pigmum: O que o visitante encontrará na exposição? Fale um pouco sobre o eixo temático da mostra.

André: O público encontrará sentimentos, desejos, conselhos... São 8 obras de técnica mista e os desenhos são em preto e branco. Decidi fazer assim para destacar as cores do papel de origami. Já tinha experimentado aquarela com origami antes, mas no final ficava parecendo uma coisa só. Bom, espero que o visitante se identifique com minhas obras que ilustram desilusões amorosas, vontade de mudar, de seguir um sonho, de encontrar coragem, que muitas vezes foram reprimidas pela sociedade. Enfim, o visitante também poderá tirar suas próprias interpretações, pois também há muito mistério nas obras.

  A mostra fica em cartaz até 4 de abril no Mahalila Café & Livros, em Natal-RN

A mostra fica em cartaz até 4 de abril no Mahalila Café & Livros, em Natal-RN

  Detalhe da exposição, que não tem título definido

Detalhe da exposição, que não tem título definido

Pigmum: Humm... Mistério? Já gostei! E o que mais te motiva na arte e quais são as outras técnicas que te interessam?

André: Amo desenhar figuras humanas e seres mitológicos como sereias e faunos. Atualmente estou interessado em botânica. Sobre as técnicas... Ah, eu gosto de todas! Hehehe... Só não experimentei ainda pinturas à óleo e nem pastel seco, mas quero experimentar em breve. Estou bastante interessado em técnicas à mão livre de modo geral, mas durante muitos anos e ainda hoje eu também trabalho com arte digital. E acaba sendo mais fácil, por possuir cores, efeitos, texturas e possibilidades infinitas apenas com poucos cliques em programas gráficos. Depende muito do trabalho e da proposta.

Pigmum: Quem são suas referências artísticas e o que te inspira?

André: Sou absolutamente inspirado pela cultura japonesa e sua tradição oriental. Amo trabalhar com formas geométricas e o Japão me levou ao origami e suas infinitas formas. Para mim, transformar um pedaço de papel em algo é um desafio e fico pensando como alguém pode descobrir um passo-a-passo para tal. Acho isso fantástico. Minha maior referência no origami é a matemática e mestra em origami Tomoko Fuse, que possui as formas mais incríveis e perfeitas que já vi. A simetria dos trabalhos dela é perfeita. Já na pintura, eu sou inspirado pelos grandes mestres, como o pintor Renascentista Michelangelo, pelo seu trabalho com a anatomia humana e como multiartista, já que ele era escultor, poeta, arquiteto... Tem também o impressionista Van Gogh, pelas cores, pelo movimento e pelo sentimento em suas obras. Um fato curioso é que Van Gogh também era muito interessado pela cultura japonesa e isso me fez admirá-lo ainda mais ♥. Além disso, sou muito inspirado pela música de modo geral. Sou capaz de colocar uma música no repeat infinito e fico escutando até terminar o desenho. Hehehe.

 'A Criação de Adão'  (1511), parte do afresco pintado por Michelangelo na Capela Sistina, Vaticano. As obras de Michelangelo são inspiradoras para André

'A Criação de Adão' (1511), parte do afresco pintado por Michelangelo na Capela Sistina, Vaticano. As obras de Michelangelo são inspiradoras para André

Pigmum: Uau! Então daqui a pouco está na hora de planejar uma visitinha ao Japão, né? Quais são seus planos para o futuro? O que você espera daqui pra frente?

André: Ainda é muito difícil viver só de arte, mas é possível. Acho que só depende de nós mesmos. Por isso desejo conciliar meu trabalho de artista com outro de design gráfico. Pretendo também continuar produzindo exposições em várias galerias de arte aqui na cidade e quem sabe em outras... Já recebi convites para expor em alguns lugares e, mesmo estando satisfeito com isso, não quero ser um artista de uma técnica única, então possivelmente minha próxima exposição será totalmente ou parcialmente diferente desta primeira. Quero cursar Artes Visuais em breve para ter mais contato com profissionais que vivem de arte no meio acadêmico, adquirindo mais conhecimento e novas experiências, abrir um pouco a cabeça para novas ideias e quem sabe me tornar um professor de artes ou algo do tipo. Cresci ouvindo as pessoas falarem que eu era um artista, acho que agora estou começando a acreditar nelas.

  André utilizou nanquim preto nas ilustrações dessa mostra para evidenciar as dobraduras e as cores dos papéis utilizados

André utilizou nanquim preto nas ilustrações dessa mostra para evidenciar as dobraduras e as cores dos papéis utilizados

Pigmum: Muito obrigado pela conversa, André. Não tenha dúvidas de que você sempre foi um artista. Parabéns pela exposição e sucesso!

André: Muito obrigado a você pela oportunidade em divulgar o meu trabalho. Beijão.


SERVIÇO:

Exposição sem título do artista visual André Souza
Visitação: até 4 de abril, de terça-feira à sábado, das 16h às 00h.
Local: Mahalila Café & Livros
Endereço: Rua Doutora Nívea Madruga, Lagoa Nova. Natal – Rio Grande do Norte. Telefone: (84) 2030-5702
Entrada franca